10
mar
10

o primeiro vôo internacional a gente nunca esquece

Eu sei que pode parecer impossível, mas não é. Muita gente nunca entrou num avião, ou nunca chegou perto de um vôo internacional.  Atendendo a pedidos, esse post ” descreve” como tudo acontece. Assim, dá para ter uma idéia do que você vai encontrar e fica mais fácil lidar com aquele frio na barriga que dá diante do desconhecido (já passei por isso), principalmente, quando a gente está viajando por conta própria e sozinha. Meu primeiro vôo internacional foi um espetáculo. O (você sabe o nome) ainda não tinha derrubado as Torres Gêmeas e os procedimentos antes de entrar no avião, propriamente dito, eram beeem mais traquilos. Mas me lembro do completo mistério que era para mim, fazer chek in, entrar na sala de embarque, o que fazer durante o vôo, que lingua os comissários falariam, como era a comida. Tudo era absoluta e deliciosamente novo. Eu estava com uma amiga, e nossa viagem para Nova York, era um tipo de excursão da falecida Soletur. Então as coisas foram fáceis, tinha um guia no Galeão para nos informar tudo, entregar as passagens, vouchers etc. Na segunda vez que visitei NY, em 99 já estava bem descolada. Já quando fui para Paris, anos mais tarde, eu me senti tipo marinheira de primeira viagem. Principalmente porque tinha passado anos pensando nessa viagem, o que fez  minha habitual ansiedade, atingir um nível absurdo! Comprei a passagem pela internet no site da Air France  (ainda tem os melhores preços para a Eur0pa). Tudo muito “muderno”, recebi o email de confirmação e o VoyageMemo, dizendo que poderia fazer o chek in pela internet. Chek in é básicamente a confirmação da sua viagem, e do seu acento no avião. Mas eu acabei fazendo lá mesmo no aeroporto Tom Jobim. Funciona assim: se for pela internet, 30 horas antes do seu vôo, a gente acessa o site, e com o código fornecido no e-mail, faz o chek in e imprime o comprovante. Eu gosto de antecedência e chego sempre antes. Eles recomendam três horas antes do vôo. Se você fez o chek in pela internet, entra na fila do guichê ” e – chek in”, e diante da atendente da sua companhia aérea, mostra seu passaporte e o comprovante impresso. A ou o atendente confirma no sistema, pergunta se há bagagem para despachar, e equanto você coloca as malas na balança, ela imprime seu cartão de embarque e coloca uma etiqueta na sua bagagem de mão. Aí você pode perambular pelo aeroporto, mas tenha o cuidado de saber exatamente aonde é o portão de embarque. Normalmente, o embarque começa uns quarenta minutos antes da hora do vôo.

Na sua bagagem de mão não pode ter, (de jeito nenhum) nenhum recipiente com líquido com mais de 100ml, nada cortante, nada combustível. Pasta de dente, colírio, e tudo que for líquido ou pastoso, tem que estar num plástico, tipo ziploc. Chegou a hora! O portão de embarque normalmente é misterioso. No Tom Jobim, o portão é um portinha, entre vidros fumê. Você apresenta seu cartão de embarque e entra. Depois de um fila tipo de banco, você chega ao guichê da polícia federal, mostra seu passaporte e de novo o cartão de embarque. Pronto, tecnicamente, você já saiu do Brasil e entrou num salão enorme.

Mas antes, tem o raio X. Tem que tirar casaco, computador e a bolsa e colocar tudo em bandejas que vão passar por um esteira para serem analisados. Nosso corpicho também passa por uma máquina para detectar metais (em Londres, agora tem um raio x que deixa a gente nuinha da silva). Daí a gente fica esperando a voz no alto falante anunciar seu vôo e então sim, a gente se dirige ao portão indicado. Pronto, você já está num tubo, que liga o avião ao portão de embarque e finalmente, dentro do avião, onde comissárias de bordo sorriem e dizem Bonjour!!! Daí, é procurar seu assento, e se acomodar.

Na sua porltrona, você vai encontrar um cobertor e uma almofadinha. Leve sua escova e pasta de dente, pois pelo menos na Air France, esse kit não rola!

Por experiência própria, prefiro os assentos perto da janela. E bem atrás. De preferência, os últimos que só tem duas poltronas a partir do número 52. Tá bom, fica perto do banheiro, pode até parecer que fica meio zoneado, mas se você sentar na janela só vai ter que ultrapassar uma pessoa para se locomover,esticar as pernas, ir pegar os lanchinhos durante o vôo, ou ir ao banheiro mesmo. Nesse lugar, a gente sempre sabe se “tá rolando” uma fila, ou se “tá liberado”. Outra maravilha, é que quase sempre são os primeiros assentos a serem chanados para o  embarque, e também os primeiros a receberem as refeições, já que os carrinhos saem dos fundos do avião.

Nesses mapas, os azuis claros, são os assentos da categoria econômica, onde nós, simples mortais, viajamos.

Na primeira vez que fui à Paris, sozinha, fiquei horas escolhendo meu lugar. E consegui sentar, exatamente sobre a asa! Ou seja, toda a vista que eu tinha romanticamente imaginado, quando chegasse a Paris, se resumiu ao céu nublado. Para piorar a situação, eu fiquei na janela e ao meu lado sentou-se  um casal esquisitíssimo. Assim que se acomodaram, enfiaram as máscaras para dormir, e não se mexeram nem quando o avião decolou, nem quando chegaram as refeições. Resumo: eu tinha que dar uma sacudida, quase um ataque epilético, cada vez que queria sair do confinamento. Na Air France, a categoria econômica, é isso mesmo. Um espaço mínimo entre o seu ser e a poltrona da frente e a do seu lado.

Eu não sou nem um pouco grande, e meus joelhos, em posição ereta, quase tocam o encosto da poltrona da frente. Quando o ocupante resolve reclinar ( reclinar é força de expressão), é claustrofobia total. Mas sorria!!!! Você está a caminho da Europa! Apenas 11 horas de vôo e pronto!

Se você tiver uma malinha, acomode-a no espaço em cima dos bancos. Se só tiver uma bolsa, coloque-a embaixo do banco à sua frente.

Et voilà!. Agora é só esperar todo o mundo se acomodar.

Antes de decolar, os comissários de bordo dão uma “sprayada” com uma espécie de desinfetante sem cheiro, checam se está todo mundo com cinto de segurança, se os compartimentos estão fechados, etc. Aí você escuta as turbinas, e a” a voz” anuncia o tempo de vôo, a que horas está previsto aterrissar e a temperatura do seu destino.

Spray desinfetante

Eu adoro a hora da decolagem. Escuto feliz da vida o vídeo sobre os procedimentos em caso de emergência, mentalizo uma viagem tudo de bom e pronto.

Uns quarenta minutos depois de decolar, o povo todo se mexe, desata os cintos, se espalha se tiver assentos vagos, e alguns até trocam de roupa e calçam pantufas. Eu não arrisco, pois se os pés incharem durante a viagem, o sapato simplesmente não entra mais. Os comissários distribuem os fones de ouvido, máscaras para dormir, tampões para os ouvidos, e lencinhos umedecidos refrescantes. Depois, passam com um bloquinho, anotando qual refeição você vai querer. Frango ou massa??? Carne ou massa?


Em francês: Poulet ou pâte? Boeuf ou pâte?

Logo, logo, a gente começa a ouvir o barulho dos carrinhos com as bebidas e refeições. Nesse quesito, tenho que dizer que a Air France é bem legal.

“Vista” do assento da Air France (classe econômica- Voyageur)

Champagne (antes da refeição) e um biscoitinho de erva-doce. Delícia.

Até a salada de chuchu é gostosa. Pão (delicioso, incrivelmente fresco) à vontade. E o vinho então? E no tocante às bebidas, não tem mão de vaquice não!

Pão, manteiga, água mineral, vinho branco, lasanha ou carne, salada de chuchu, frango, queijo brie, e de sobremesa, torta de chocolate e bombom.

Dá para ver que a mesinha fica realmente ao alcance das mãos…

Acabada a função do almoço/jantar, os comissários servem café, recolhem os pratos e copos, e tudo se acalma. Logo em seguida, começa a fila na porta do  banheiro e as luzes diminuem (mesmo quando o vôo é diurno). Normalmente passam o jornal (em francês) nas telas espalhadas pela cabine, e depois tem um filminho.

Nessa hora, já tem gente babando! Mas eu, que tenho insônia mesmo tomando um parangolé para dormir, fico tentando um posição para relaxar. Tiro um cochilos, mas dormir mesmo, nada!

Banheiro minúsculo. Aconselho uma dieta antes de partir….

Durante a noite, normalmente é tudo muito tranquilo. No meio da cabine, fica uma espécie de cozinha, e pelo menos na AF, você pode ir até lá e se fartar de sanduíches, biscoitinhos, água mineral (Perrier), Hagen Däzz, vinho branco, Heineken e champagne. Pra quem tem insônia é tudo de bom! Só de ir e vir, já mata o tédio.

Um cochilo e quando a gente vê, está amanhecendo…

Chegando à Paris…

E começa o boburinho do café da manhã. Eu adoooooro! Além de ser uma delícia, é sinal de que estamos chegando!

Salada de fruta, sanduíche de peito de perú, leite, iogurte, geléia, frios,  pãoe café  à vontade.

Bom, a hora de recolher os finalmentes do café da manhã é meio corrida. Afinal, já estamos chegando, e todo mundo começa a se arrumar, a mulherada lança mão do nécessaire, as mais peruas fazem um make  completo, os friorentos sacam os casacos e ficamos todos esperando o piloto dizer a temperatura local e  que estaremos aterrissando em alguns minutos.

Enfim, Paris!!!!  Da primeira vez, ao sair do avião, não tinha tubo! Tivemos que descer a escada e pegar um õnibus até o terminal. Este momento, para quem saiu do nosso ensolarado país, é uma lufada gelada que adentra seu corpo. Tive vontade de voltar ao útero materno. Portanto, seja qual for a estação, uma pashimina é sempre bem vinda!

Terminal do Roissy-Charles de Gaule (tubo que liga o avião ao terminal)

Chegando ao seu destino, não se preocupe. Não tem como não chegar na imigração. É só seguir a gelera. Se tiver conexão, leve o mapa do aeroporto. Se tiver que trocar de aeroporto (às vezes, pode acontecer de desembarcar no Royssi-Charles de Gaule e o outro vôo partir de Orly), consulte o site da companhia e do aeroporto. Normalmente eles disponibilizam um ônibus entre os dois aeroportos.

Terminal Charles de Gaule

Bom, espero que quem pediu  ou se interessou por esse post, viaje bem rapidinho! Nenhuma descrição consegue realmente mostrar o principal. O maravilhoso frio na barriga.

Até!!!

Anúncios

21 Responses to “o primeiro vôo internacional a gente nunca esquece”


  1. 1 Gina
    12/03/2010 às 10:54 PM

    Incrível, ainda sinto essa emoção quando faço uma viagem. A primeira internacional foi para o Canada com escala em NY (2000). Ainda pude ver as Torres Gêmeas do alto, já que não tinha visto americano, então fiquei numa sala até a hora da conexão para Toronto. Legal as dicas para os iniciantes. Saber o que vai acontecer deixa a gente mais tranquila e confiante. Bjs

  2. 2 jorge luiz vieira
    30/06/2010 às 3:59 PM

    parabens, estou indo para a alemanha amanha vc me ajudou muito, obrigado

  3. 3 Débora de Jesus
    10/11/2010 às 7:18 AM

    Amei a explicação… não poderia ser melhor.
    Na realidade mostraste-me que o importante e ter calma, estar positiva e levar tudo na desportiva.

  4. 4 Tabita Mel
    15/11/2010 às 1:32 PM

    minha duvida reside na “porta do WC” visto que na minha primeira viajem não consegui abri-la…

  5. 5 lili jac
    15/11/2010 às 1:34 PM

    A questão da Tabita também é a minha no tocante a porta do wc

    • 6 celmartin
      15/11/2010 às 3:05 PM

      A porta do banheiro é sempre um enígma. Tem uma que basta empurrar, outras tem uma tranca “escomoteada”. Se não sabe como abrir a porta, pergunte! É simples, rápido e eficaz. Afinal, a gente pagou uma grana preta pela passagem para ficar apertada!

  6. 7
    07/01/2011 às 7:42 PM

    O posto tá DEMAIS! Vou amanhã pra Londres, pela Air France e fiquei deslumbrada com a riqueza de detalhes e imagens. Parabéns!

  7. 9 ludmila Pereira
    23/02/2011 às 11:35 AM

    Muito bem, tudo bem desenvolvido.
    A primeira viajem é sempre a primeira, cheia de emoções, aquele frio na barriga. Mas também é inesquecível, tudo muito inocente e original.

    A minha primeira viajem foi a Portugal(Braga) e tive a sorte de viajar com hospedeiras super simpáticas e posta em Portugal apesar de ser negra não tive problemas de racismo visto que em todo o lugar aonde fosse todos eram bons para mim.

    Uma das coisas que nunca sai da minha mente foi a alimentação a bordo, o filme que rolou haahhahah… dormi apenas um pouco e quando acordei já era dia e já estava em Portugal, uaua foi de mais.

  8. 26/04/2011 às 3:46 AM

    Muito bom o post, parabens

  9. 11 Patricia
    04/05/2011 às 6:00 PM

    Muito legal seu post…espero que o meu voo seja assim…mas não será pela air france… irei com a tap…
    Bom, vou torcer…

  10. 13 Brenda Fürstenau
    09/06/2011 às 10:41 PM

    O meu primeiro e único vôo internacional foi em 1996, para Cancun. Foi um vôo horrível, num avião pavoroso com uma cia chamada Aerocancun. Então classe econômica Air France será luxo para mim 🙂 Meu marido e eu iremos para Europa mês que vem, nossa primeira cidade será Varsóvia,mas iremos para lá via Paris, com a AirFrance. Muito bom teu post!!! Adorei a riqueza de detalhes e saber que não passarei fome, porque quando fico ansiosa (geralmente fico assim voando) fico com fome. Beijo.

  11. 15 Glécia
    08/01/2012 às 9:30 PM

    Simplismente ameiiiiiiiiiiiiii, muito interessante e bem explicado, já viajei varias vezes de avião,então quanto a esta questão tudo ok.rs mas estou em contagem regressiva para Londres , minha primeira vez e de meu filho de 17 anos que mesmo com 5 anos de inglês fluente me da calafrios e a sensação de borboletas na minha barriga ,so de lembrar que esta chegando a tao esperada hora e começo de realizaçoes de varios sonhos a serem realizados , enfin agora mesmo so as malas que me atormentam ainda .Vamos ficar 15 dias , se alguem AMIGO (A) me der umas dicar ahhhh ficarei muito grata . beijos .

    • 16 celmartin
      10/01/2012 às 6:29 AM

      Seja bem vinda, Glécia! As borboletas na barriga são mesmo uma sensação maravilhosa. Minha dica para as malas é sempre o mínimo possivel, pois além de facilitar a locomoção, é quase impossível não comprar nada por aqui, então a mala volta sempre mais cheia. Vocês vão ficar só em Londres, ou vão viajar para mais lugares? quanto mais lugares a gente for, menor tem que ser a malinha, e de preferência que você consiga carregar sozinha. volte sempre!

  12. 17 margarete
    18/01/2012 às 3:46 PM

    ola´ tambem irei a paris no comeco de abril a ansiedade ta grande seu post me ajudou bastante,ja viajeii pelo brasil; mas e´minha primeira viagem internacional tirei bastante duvidas obrigado

  13. 19 Franklin
    06/03/2012 às 11:53 PM

    Olá..primeira vez que leio o blog..e tbm minha primeira viagem internacional..irei pela Air France ..e vou a Dublin via Paris..a conexao em Paris é facil..vou do terminal 2f ao 2e..consigo fazer facilmente? Por favor me dá umas dicas..

  14. 21 Franklin
    07/03/2012 às 11:04 PM

    Muito obrigado .vou me preparar para a conexão


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: