20
maio
11

Re-viajando Barcelona – Madri

 De Barcelona a Girona, de onde partem os vôos da Ryanair, é simples. É só ir até a Estacion Nord, uma espécie de terminal rodoviário, comprar as passagens do Barcelona Bus, (21 euros ida e volta) em pouco mais de uma hora, chaga-se ao aeroporto.
 Eu simplesmente adoro essa hora. Minutos antes de pegar um vôo para conhecer um novo lugar, quando no quadro aparece o número do portão de embarque. É hora de voar! E de toda a expectativa de chegar a uma nova cidade.
Desta vez, Madrid! Mesmo voando pela Ryanair, que normalmente utiliza aeroportos alternativos, aterrisamos em Barajas, o aeroporto principal da cidade de Madri. Há tempos eu queria conhecer a capital da Espanha, mas sempre acabava adiando. Tantas notícias sobre brasileiros sendo barrados e passando por situações constrangedoras, ao chegar em Madrid, me faziam sempre pensar duas vezes e escolher outros destinos. Mas dessa vez, com nossos passaportes lotados de carimbos, tomei coragem e devo dizer que a pechincha da passagem (10 euros mais 5 de taxas) foi o empurrão que eu precisava.  Acabou que não houve imigração alguma! Saímos diretamente no saguão do aeroporto! Acho que o vôo vindo de Barcelona, é considerado doméstico. Et voilá! Estávamos em solo madrilenho, sem nenhum problema. O aeroporto de Barajas é moderníssimo e enorme, mas muito bem sinalizado e com um quiosque de informações eficiente.
E a forma mais econômica e rápida de chegar ao centro da cidade, é de metrô que tem uma estação dentro do aeroporto.
Dois euros (1 euro de taxa do aeroporto) e você chega rapidinho ao seu destino. É o transporte mais barato ever! Considerando todos os transportes entre aeroportos e o centro das cidades que já peguei.
É facílimo comprar os tíckets nas máquinas de auto atendimento. A estação é limpa, moderna  e praticamente vazia. E andar facilmente por todos os meios de transporte é uma das vantagens de  viajar leve, com pouca bagagem! O hostal havia me mandado por e-mail, as direções e conexões que deveria tomar e lá fomos nós.
Mas a emoção que não tivemos na hora da imigração, tivemos na segunda conexão do metrô, na estação de Nuevos Ministérios.
Não fosse eu uma psicótica, que anda com tudo acorrentado dentro da bolsa, teria ficado sem minha carteira. Contei tudo nesse post aqui.
Aliás, atenção quando for à Espanha, principalmente nas cidades turísticas. Nunca, ninguém vai te apontar uma arma. Mas os golpistas, pickpokcets, batedores de carteira, etc. são treinadíssimos, feras mesmo e famosos por melar a estadia de muitos turistas.  Há várias maneiras de surrupiar sua bolsa, câmera ou carteira. Eu mesma nem senti quando enfiaram a mão na minha bolsa. Felizmente tudo que levaram foi um maço de cigarro de menta. Mas a regra geral é nunca deixar sua bolsa nas costas de alguma cadeira, evitar bololôs de gente, não se distrair com nada e ter sua bolsa sempre à sua frente. Não é a toa que a última moda é bolsa a tiracolo.
Passado o susto,  chegamos finalmente ao Stad Madrid.  Saltamos na estação Gran Via, em plena “shopping area”, movimentadíssima, com prédios deslumbrantes!
Por fora, a localização do hostal era meio tosca. Na realidade o Stad Madrid fica no segundo andar de um edifício comercial e  nosso quarto parecia uma pequeno paraíso, depois do susto do metrô e da chuva torrencial que despencava.
No mapa acima, estão os principais “must see” da cidade. E a Gran Via é um excelente ponto de partida, pois fica bem central. Além disso, se locomover em Madri é facílimo. O metrô é barato e fácil de entender as conexões. O bilhete unitário custa 1 euro, mas nós optamos pelo bilhete de 10 viajens (9,30 euros), que pode ser usado por várias pessoas, e é mais do que suficiente para ir aos pontos turísticos. Há também os bilhetes de abono turístico, que valem para todos os meios de transportes. Mas sinceramente, andar é a melhor maneira de respirar Madri.
Passear pela Gran Via é passear por diversos estilos arquitetônicos.  Começando na Plaza de Cibeles, as construções parecem saídas de Paris  do século XIX.
Edifício Metrópolis
Palácio de la Prensa
Mas é na Plaza Mayor que a gente sente que está em Madri.
Situada bem no centro da cidade, esta praça foi inaugurada em 1620 durante o reinado de Felipe III. Foi palco de muitos eventos, incluindo execuções públicas durante a Inquisição Espanhola.
Placa em homenagem aos mortos do mais grave atentado terrorista da Espanha.
Bem perto, o Mercado San Miguel, é o ponto certo para reabastecer.
Dá água na boca, passear por entre as guloseimas expostas nos stands. Imperdível!
Ande mais um pouquinho pela Calle Mayor e tcharam… Puerta del Sol! É uma outra enorme praça, não menos famosa, linda e  movimentadíssima também.
Pronto! Já estávamos apaixonadas por Madrid!
Tem mais no próximo post! Até!

9 Responses to “Re-viajando Barcelona – Madri”


  1. 21/05/2011 às 2:38 AM

    Ai Cel, Madrid é linda! E que susto,com esse batedor de cateira!! Ninguem merece!
    Meu tempo foi curto nessa cidade, algum dia ainda volto lá. Agora to na contagem regressiva para voar de novo e o coração está “aos pulos”.
    To acompanhando e anotando as dicas!! Bjs

  2. 3 Patricia
    21/05/2011 às 2:54 PM

    É vc que tem que me levar a Madrid. Ainda não peguei o esprito da cidade.

  3. 5 Clarrrrice
    21/05/2011 às 10:52 PM

    Incrível como todas as pessoas que eu conheço que viajam para Madrid me falaram a mesma coisa sobre o tais batedores de carteira.
    Aqui no Rio estamos sempre tão alertas quanto a isso que nas viagens, parece que relaxamos e esquecemos que isso existe em todos os lugares.

    Sem dúvida, quero muito ir à Espanha.
    Adorei conhecer Madrid pelo blog!

    Mil beijos, Clarrrrrrice

    • 6 celmartin
      22/05/2011 às 1:39 AM

      É querida, a gente tem que prestar muita atenção em lugares turísticos. Tem muito espertinho para se aproveitar dos turistas embevecidos.

  4. 22/05/2011 às 2:52 AM

    Nossa, muita coisa! Espero o próximo post!
    Adoro ler suas postagens! Um paraíso para os olhos e para o coração… e vc tem o dom de aguçar nossa já natural curiosidade!
    beijos

  5. 8 Margarida Reis
    22/03/2012 às 6:25 PM

    Boa noite, será que me poderia esclarecer num assunto?

    No trajecto aeroporto-centro de Madrid, é necessário só pagar 1 euro? E há mudanças de linha durante o trajecto?

    Obrigada!

    • 9 celmartin
      23/03/2012 às 10:45 AM

      Olá Margarida,

      O trajeto aeroporto centro de Madrid é acrescido de 1 euro (taxa extra). Chegando ao aeroporto Barajas é bem fácil encontrar a estação de metrõ e comprar os bilhetes nas máquinas de auto atendimento. Para chegar ao centro, por exemplo à Gran Via, eu tive que fazer um troca de trens na Estação Nuevos Ministérios. O metrô é bem fácil de usar, sendo todo sinalizado.
      abcos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

maio 2011
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: