Posts Tagged ‘London eye

03
fev
11

Londres, um bom começo

Por onde começar? Sempre me faço essa pergunta quando vou conhecer uma cidade.  Agora mesmo, estou às voltas com pesquisas para mais uma possível viagem, e a vontade de ver tudo e mais um pouco é inevitável.  E aqui em Londres? Bom, quanto mais tempo passo por aqui, mais me convenço que tem Londres para 365 dias… Esse dias descobri um blog delicioso Tired of London, e nele uma frase mais deliciosa ainda.

“When a man is tired of London, he is tired of life…

…for there is in London all that life can afford.”

– Dr Samuel Johnson, 1777

É obvio que o blog fala de uma endless London. Mas para quem quer começar,  tentando mais uma vez responder à(s) leitora(s), vou tentar um foto- resumo informativo, absolutamente informal e de um ponto de vista  totalmente pessoal. Sendo assim vou aproveitar alguns passeios  a pé (como o do dia da manifestação (post anterior) e as zilhôes de fotos que estão na minha câmera para esta aventura.

A primeira providência é conseguir um mapa da cidade. Estão à venda em todos os lugares que vendem lembranças da cidade, News Agents (lojas que vendem revistas e jornais) e nos hotéss e  albergues, certamente tem aquele display com os mapas turísticos, e uma infinidade de atrações.

Para começar….

Os ícones, símbolos da cidade =

Westminster Bridge, Big Ben e Houses of Parliament (ou Palace of Wstminster)

Por mais que passe por lá todos os dias, ainda acho liiiiiiiiiiiindo!!!

A construção, como a vemos hoje, começou em 1835, levou 30 anos para ficar pronta, em estilo neo-gótico,  mudou para sempre a skyline de Londres. E o Big Ben, que na realidade não é o relógio de 4 faces (Parliament Clock), e sim o mega sino que badala marcando as horas, certamente vai dar uma badalada para deixar ainda mais gostoso o passeio.

Caminhe pela ponte sem pressa… Olhe para cada lado com toda a calma do mundo, pois o Thames relfete  os desenhos da arquitetura e devolve reflexos…

E fotografe muito. Eu fotografo muito!!!

Do outro lado —London Eye! Inaugurada em 2000 para marcar a virada do Milênio, na época era chamada de Millenium Wheel. É hoje um ícone da modernidade de Londres.

Vale a pena? 20 libras por uma volta na roda? Vale, se combinar com outra atração ( no site, há várias opções de comprar duas atrações juntas)  e assim o passeio sai mais em conta. Se não,  continue andando, e chegue  a Parliament Square e Westminster Abbey (onde dia 29 de abril haverá o casamento mais esperado por aqui).

Daí, olhe para sua direita e você estará na direção Whitehall,

Nesta big avenida…

Está a famosa Downing Street, onde mora o Prime Minister David Cameron (bem mais modesto que a Rainha, diga-se de passagem)

tem Horse´s Guards Parade

E seguindo nesta direção estamos indo para Trafalgar Square, onde tudo acontece ou começa a acontecer. Manifestações, comemorações, paradas…

É exatamente essa área que é paralisada toda vez que tem algum furdunço!

O próximo evento é o Ano Novo Chinês, que é sempre comemorado com pompa e circunstância aqui em Londres e este ano cai no dia 3 de fevereiro, mas aqui tudo passa para o domingo, então os dragões e lanternas vão bombar no dia 6 de fevereiro.

E a imponente (e enlouquecedora) National Gallery ( Tome um calmante antes de entrar se você gosta de pintura.)

Neste ponto, olhe para sua esquerda e lá está St Martin-in-the-Fields ( que tem um restaurante (Café in the Crypt)  no alto da cripta da igreja, com preços até razoáveis para o lugar). Vale um visita.

Chegando aqui, você pode escolher.  Mas são tantas opções, que eu aconselho uma para no Pret para um capucino… Leicester Square, Covent Garden, ou Jubilee Bridge… Ou ainda seguir para Regent e Oxford Street? Bom isso é assunto para outro post.

See you!

Anúncios
12
fev
09

O QUE SE VÊ DE LONDON EYE





02
jan
09

HAPPY NEW YEAR !!!!!

Chegamos em Trafalgar Square por volta das 3 e meia da tarde. Muitos turistas disputando espaço para uma foto, muita gente, muitos idiomas e muito frio!

Me dei conta que tínhamos chegado muito cedo e que teríamos que preencher esse tempo com alguma atividade. Guardas por toda a parte, grades, e os luminosos mostrando como voltar pra casa e desejando um 2009 maravilhoso.


Fomos passear um pouco, e testar nossas roupas térmicas. Continuavamos nos gabando de estarmos aquecidas e preparadas para o evento. Chegando ao Big Ben, checamos os melhores lugares, a melhor vista, e nos decidimos por ficar na margem em frente, pois na Westminster Bridge, o vento era de cortar orelhas e gangrenar as mãos, muito antes do ano chegar.


Um pulinho em County Hall, banheiro no Mac Donalds (o ultimo xixi do ano!) e as 5 horas da tarde, nos posicionamos em primeiro lugar, junto a grade em frente ao Thames, como se fosse absolutamente normal, esperar em pé, por sete horas!!! um evento que temos em frente à nossa casa no Brasil.
Tudo muito calmo, organizado, sem empurra-empurra, centenas de guardas, crowd safetys, motociclistas, banheiros quimicos, e muita gente chegando. Sortudos que teriam a oportunidade de estar ali, pois assim que estivesse rasoavelmente lotado, os guardas fechariam a chamada “viewing area” e absolutamente ninguém poderia entrar.

As 6 da tarde, que aqui ja é noite fechada, pensei em comprar um café, mas desisti vendo a aglomeração na Westmisnter Bridge e imaginei minnha filhota perdida sem mim. Voltei imediatamente ao meu posto, e mesmo faltando 6 horas para o grande momento, continuei achando que era normal.
Uma moça ao nosso lado, animadíssima, se apresentou. Uma brasileira que reside fora de  Londres desde 2003, nos contou com os olhos brilhando que todos os anos está la sem falta. Este ano, nenhum amigo quis ir, e ela, mesmo sozinha, estava lá. Nos disse que seriam 10 minutos de puro êxtase, e que estávamos no melhor lugar, pois dalí poderimos ver o show de luzes durante a contagem regressiva.
Não posso descrever com riqueza de detalhes, 6 horas de espera, vendo a multidão chegar, debaixo de um frio de 0 grau, sensação térmica de – 5 devido ao vento gelado do Tâmisa. Cada badalada do Big Ben eu dizia: Faltam menos 15 minutos…  para quê mesmo?


Devo confessar que foi a animacão e o papo descontraído e encorajador com a moça que nos envolveu numa espécie de torpor e fez o tempo passar sem que desistíssimos.  O total congelamento do cérebro,  impossibilita que voce tome a decisão mais lógica (sair correndoooo)  e permaneça durante 6 horas vendo London Eye trocar de cor, numa especie de aquecimento para o grande momento. É lindo mesmo, mas pensando bem, é uma loucura, aquela gente toda, congelando, durante horas pra ver dez minutos de foguetório. Pura lobotomia!!!

às oito da noite, começou a música com uma seleção comandada pelo DJ da BBC.

-Hello London!!!!! Guess what? Let’s Have some fun!!!!

A moça ao nosso lado, disse que este ano estava muito mais legal, pois agora tinha música. Imagina sem???

A esta altura, meus pés se despediram do meu corpo e o patch que deveria aquecer em contato com o ar, virou uma pedra gelada entre a bota e as três meias que desapareceram com o frio, que até mesmo a BBC classificou de “freezing”. Eu…. portava um gorro do meu genro, o que me transformou numa espécie de mano, desses que cantam RAP em São Paulo. Nos sacudíamos ao som da música, pra retomar a circulação perdida. Inventei uma danca meio aborígene, com passos desconexos, mas eficaz contra o total congelamento e uma possivel tragédia. No pouco espaço que tínhamos, era tudo que podíamos fazer.

10 horas da noite. Neste momento, voce não pode fazer mais nada. Não há como desistir. É melhor se animar, sendo a primeira da fila de camadas de pessoas, que terá a melhor visão do espetáculo e continuar a se sacudir. Afinal só faltam duas horas. Para quê  mesmo???
Comemos nosso sanduiche de salmão, que apesar da aparência assustadora, estava geladinho e uma delícia! Revigorante. Mas nada de liquidos. Apenas uma leve umedecida nos lábios…  se não, pode ocorrer o maior terror da festa: vontade de ir ao banheiro.

Enfim 11 horas. A multidão ja estava toda lá. Italianos, búlgaros, holandeses, portugueses, dinamarqueses,  a europa inteira. E lógico!!! Brasileiros cantando o hino do Flamengo. Ninguém merece!
11:50
Finalmente, começa algum movimento, e uma música hipnótica começa a tocar sincronizada com um show de luzes que deslizam pela roda. Numa espécie de catalepsia coletiva, comeca a contagem regressiva e todas a vozes chegam ao zero. As doze badaladas do Big Ben soam…
Um show maravilhoso de fogos espoca e durante 10 minutos sucumbimos ao êxtase. A roda se transforma numa visão, num olho luminoso e incandescente.

Quando tudo termina, me surpreendo comigo mesma. Ainda existe vida inteligente, e finalmente quando começamos a nos movimentar para ir embora, me dou conta que estou estranhamente viva. A circulacão volta e preciso andar, encontrar forcas e um meio de transporte para voltar para casa. Restos de todo o tipo de alimentação e bebida alcoólica pelo chão. Pessoas em estado lastimável deitadas ou amparadas por amigos igualmente bêbados. Guardas sorridentes indicando o caminho para um possível retorno ao lar. E você deseja ardentemente que um dispositivo de teletransporte opere um milagre. Quilômetros a frente, descobrimos um ponto de ônibus que vai para algum lugar. Pura ilusão, desce do ônibus e anda mais um pouco…  só mais um pouco. Metrô finalmente!!! Mais duas conexões e mais um ônibus estamos em casa!!!

LONDON EYE NEW YEAR’S EVE!
Um ritual tribal coletivo de superaçâo e persistência.
Uma experiência inesquecivel. Valeu a pena? Valeu!!!!
Para quê mesmo????




Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

julho 2019
S T Q Q S S D
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: