Posts Tagged ‘MALA DE RODINHA

07
jun
10

do início ao resumo

Para quem acompanha o blog, talvez seja mais fácil entender essa aventura.  Essa maravilhosa aventura em que eu e meus amigos queridos (dos quais falei aqui), embarcamos como se fosse um grande parque de diversão.  E foi mesmo!

Chegada de Rafael e Juliana a Barcelona

Desde de o dia 1 de abril, que eu estou em estado de viagem. Viagem adiada, primeiro por causa de um probleminha (dentista e todos os problemas que este ser descobre para depois resolver), depois por causa do vulcão e suas cinzas que paralizaram o espaço aéreo europeu. Benditos adiamentos, pois nesse meio tempo, Rafael e Juliana, cogitaram uma mochilada pela Europa, e euzinha, International Vagabond de carteirinha (organização fundada e presidida por minha prima querida), fui convocada para acompanhá-los ou melhor, para organizar o roteiro, fuçar passagens e hotéis, albergues  e etcras, que coubessem em nossos bolsos. Serviço que eu adoro executar. Clarrice (assim mesmo),  foi imediatamente chamada para a aventura, mas devido ao recém conseguido estágio, não pode nos acompanhar. Mas esteve conosco em cada Km percorrido. Então desde o dia 24 de abril, enquanto curava a ressaca adquirida em nosso encontro no Cocoon (casa do Casal Rafael e Juliana),  rodei a Europa inteira, chequei todas as promoções, e de tarde já tinha umas 4 possiblidades para ziguezaguear pela Europa.

Barcelona

Desde então, foram zilhões de emails, telefonemas, confirmação das férias de Juliana, contas, e principalamente a decisão do roteiro final, cuja a única exigência, era terminar em Paris. Daí, a loucura da compra de passagens, troca de cartões de crédito, documentos, e como embarquei uns vinte dias antes deles, os detalhes finais foram acertados enquanto eu já perambulava por aqui.

Dublin

Já sou ansiosa por natureza, e uma enredo desses, com tudo apertado no laço, datas e horários justos, do tipo atrasou perdeu, me fizeram entrar em estado de permanente agitação. Mas na mesma proporção da ansiedade, sou uma otimista quase profissional. Enquanto o vulcão ainda cuspia lavas e cinzas (que por um dia, não nos deixou, eu e Carol, entaladas em Dublin), eu mentalizava positivo. E nossa viagem fluiu como um filme! Deu tudo absolutamente certo, em meio a malinhas,  gargalhadas, guaraná em pó (que deixaram Rafael ligadíssimo), antiinflamatório e relaxante muscular (marquerite, minha artrite reumatóide, não poderia me acompanhar um só minuto!),  sangrias gigantes (o íntem mais caro de toda a trip), vinhos (um bom supermercado…), e capucinos (o mais fiel companheiro dos viajantes) e quase cinco mil fotos!

Sangria – Las Ramblas – Barcelona

Terraço Casa Batlló  Gaudí

Elevador The Ousbourne Hotel Edinburgh

Ice Bar Stockkholm

Jardin du Luxembourg Paris

Fizemos um trio perfeito, a coroa boladíssima e o casal. Rafael afinado nos mapas, eu me atrevendo a fazer perguntas complexas em qualquer idioma, e Juliana a mais centrada. Enquanto eu e Rafael nos enrolávamos, surtados em várias situações, dando voltas em torno dos próprios eixos, Juliana dizia por exemplo… eu acho que vi o tal ônibus passar nessa rua! Pimba! Estava certa!

Parece mesmo que foi para lá de um mês, tal a intensidade desse convivência, o sufoco para arrumar as malas (depois conto os detalhes), dos horários dos vôos, da urgência em respirar cada detalhe de todos os cantos que visitamos. Foi mesmo tuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!

Até!

Anúncios
22
abr
10

a malinha como bagagem de mão (o que pode e o que não pode)

ESTE BLOG MUDOU DE ENDEREÇO:

http://www.maladerodinhaenecessaire.com/

Pois é.  Assunto recorrente.

-Oi Cel, como você consegue se virar com uma mala tão pequena? Não consigo imaginar como levar tudo que eu preciso nesse espacinho.

Para começar, não quero ditar regras! Cada um faz a viagem do jeito que quer e que pode. Cada um tem um objetivo e uma  estória para contar. A “tese” da malinha, apareceu depois de uma experiência própria.

Eu penso assim: se meu objetivo é viajar para um só lugar, ou uma só cidade, e meu orçamento permite que eu pegue táxi do aeroporto para o hotel e do hotel para o aeroporto, ótimo! E ainda,  se pretendo fazer compras… É logico que dá para abusar no tamanho da bagagem.

Oxford Street

Mas eu normalmente viajo para a Europa. Já fiz uma base em Paris e agora é  Londres, e de lá vou para outros países e cidades. Meu objetivo é esse. Viajar. Não me ligo muito em compras. Aproveito cada libra e cada euro para conhecer e respirar cada lugar. É lógico que às vezes dá vontade de comprar todas as lembranças, roupas em liquidação. Mas o fato da mala ser mínima, já ajuda no auto-controle.

Na realidade, a primeira dica, foi meu filho quem deu quando me encontrou em Paris para de lá, írmos a Amsterdam e de Amsterdam para Londres. Nosso percurso seria de Eurolines. Eu e minha filha estávamos cada um com uma mala média (absolutamente desnecessária).

-Mãe, essas malas vão atrapalhar muito em Londres!

E atrapalharam. Chegamos de ônibus em Victoria Station, quase à meia noite. Esse quase, nos fez correr muito para o metrô, que fecha, exatamente à meia-noite. Então, toca a correr com as malas. Ao alcançarmos a plataforma, uma voz nos informou que o metrô tinha acabado de fechar. Então subimos tudo outra vez. E toca a carregar malas escadas acima. Uma chegada nada tranquila e nada confortável. Para dizer a verdade, foi muito estressante. Como todo o metrô que se preze, o de Londres tem muita escada, com a particularidade dos trens serem pequeninhos e estreitos. Na hora do rush, imgine perambular pelas estações e entrar nos trens com malas enormes e pesadas!

Desde então, adotei a mala que cabe em qualquer lugar e que eu posso carregar sozinha, por todos os lugares que vou precisar circular com ela: aeroporto, aviões das cias lowcost, estação de trem, de metrô (sempre têm muuuuuitas escadas, nem sempre rolantes ), rodoviárias, ponto de ônibus (urbanos), ônibus (internacionais, intermunicipais e urbanos), shoppings e ruas de comércio (se precisar ficar fazer hora entre um transporte e outro), restaurantes e lanchonetes, cafés e até mesmo pubs.  Simples assim. Como é que cabe tudo dentro??? Porquê esse tudo é o mínimo. E a mala vira uma companheira e não um problema.

Exemplo:

Inverno:               (as temperaturas são entre 7 e -12 dependendo da cidade)

2 conjuntos de roupas térmicas (importantíssimo)

São como uma segunda pele. Para usar por baixo da roupa comum.

Não ocupam espaço, esquentam bem no frio, mas se esquentar não fazem a gente suar.

Fáceis de lavar durante o banho mesmo e secam rapidinho.

E se o frio estiver corroendo seus ossos, em vez de alternar, use os dois conjuntos, um por cima do outro.

1 par de botas confortáveis e se for alto inverno dê preferência às forradas com pele ou pelúcia (pode ir com ele já no pé)

2 calças jeans (uma vai em você)

2 blusas quentes (de gola alta)

2 cachecóis de lã ou pashiminas (essas não espalham fios de lã no casaco, ocupam menos espaço,  eu tenho váaaarias)

4 pares de meias de lã (leve duas e deixe para comprar as outras lá mesmo, é muito mais barato e qualquer supermercado grande tem, além de serem realmente térmicas)

1 roupão fininho ou peignoir (ajuda,  se ficar em albeurgue ou hotéis que o banheiro é fora do quarto)

1 sapatilha (para ficar à vontade no quarto) ou

1 sandália de borracha (importante para tomar banho em albergues nos banheiros compartilhados)

uma sacolinha de plástico ou nylon (também para os banheiros de albergue), serve como nécessaire, para levar a muda de roupa para dentro do chuveiro, em albergues etc.

1 toalha super absorvente ( é bem pequena e enxuga muito mais, à venda em lojas de esportes.)

4 mudas de roupa íntima

E importantíssimo: Um ótimo casaco! Leve um que quebre o galho e deixe para comprar o super lá mesmo. Também é  muito mais barato.  Esse casaco vai na mão. No avião, serve de travesseiro ou coloque no bagageiro acima do banco, quando chegar, fica fácil de vestir e não congelar.

E se  tiver que ter apenas um, é ele. O filled coat, padded coat, doudoune ou casaco de nylon. Aguenta neve, chuva, não deixa passar o vento, e não suja tão fácil como os de lã, que a ‘gente tem que estar sempre passando aquele rolinho para tirar pêlo e poeira. E por ser impermeável, o casaco mantém o calor do corpo.

Pode não ser a coisa mais linda do mundo mas acredite, é tudo que você vai querer se nevar ou chover.

Se tiver capuz, melhor ainda. Protege do vento gelado nos ouvidos e da chuva e da neve.

Primavera/Verão  (temperaturas entre 5 (à noite), 15 até 35 )

Mais fácil ainda. Eu estava arrumando a minha assim

2 calças jeans ( de cores diferentes)

3 camisas (dessas que não precisam passar)

2 camisetas

3 pashiminas

4 pares de meia

1 pullover

1 casaco impermeável (na mão)

1 roupão bem fininho

1 par de botas (nos pés)

Mas se seu destino for predominantemente quente, tipo Espanha, Itália, etc fique de olho na temperatura, e substitua o casaco impermeável, e o pullover, por uma opção mais leve, e troque as botas por um bom tênis.

Quanto à nécessaire, o básico do básico. E tudo com até 100 ml. Se não, vai ficar na lata de lixo aqui mesmo, num aeroporto no Brasil, a não ser que você despache a malinha. Mas porquê despachar,  se a malinha pode ir com você no avião, porque correr o risco de perdê-la de vista?

Acredite, sai mais barato comprar roupas e fazer uma nécessaire por lá mesmo. Então o mínimo é o máximo, se quiser viajar na base da malinha, do low cost, pronta para o que que pintar pelo caminho, e para andar feliz e contente por todos os caminhos que pintarem. É uma libertação!

Bagagem de mão:

para viajar em vôos internacionais, a partir do Brasil, na maioria das companhias você tem direito a

55,12 cm (C) x 35,05 cm (L) x 24,89 cm (A) – incluindo bolsos, rodas e alças.

1 bolsa padrão (um porta-terno é considerado como uma bolsa padrão)
+ um acessório (bolsa de mão, laptop, máquina fotográfica, etc.
Peso total máximo autorizado: 12 kg

Já nas lowcost:

Easyjet:


Bagagem de mão – o que pode e o que não pode levar

Pode levar uma peça de bagagem de mão consigo para a cabine, com as dimensões máximas de 56 x 45 x 25 cm. As carteiras, as pastas, os computadores portáteis e as respectivas malas são todas contabilizadas como uma peça, por isso, se tiver, por exemplo, uma carteira e uma mala de portátil, ser-lhe-á pedido que pague uma taxa para colocar uma das peças no porão, portanto, considere colocar uma dentro da outra. Não fazemos isto “apenas porque podemos” mas porque faz todo o sentido.

Por exemplo: já todos constatámos como grandes quantidades de bagagem de mão levam à falta de espaço nos cacifos do tecto, portanto, ao limitar a quantidade, colocamos todos em pé de igualdade, assegurando a hipótese de todos trazerem uma peça para bordo.

  • Com menos artigos, é mais rápido passar na segurança;
  • Embarca e desembarca mais depressa
  • Conseguimos colocá-lo a horas no seu destino

Lembre-se de que pode guardar a bagagem de mão não apenas nos cacifos do tecto mas também debaixo da cadeira à sua frente. Pode ajudar-nos a partir mais cedo e a ter espaço para toda a bagagem de mão se colocar os artigos mais pequenos debaixo da cadeira da frente.

E, apesar de ser uma tentação, não tente passar com dois artigos pelos nossos funcionários no portão de embarque: eles serão obrigados a colocar uma das peças no porão e a cobrar-lhe isso. Irá atrasar a sua viagem e a dos outros!

  • Líquidos na bagagem de mão

Existem algumas regras a recordar sobre o que coloca na sua bagagem de mão e o que deve deixar em casa. O importante é que a palavra “líquidos” tem um sentido mais vasto do que o que possa inicialmente pensar. Por exemplo: neste contexto, os bálsamos para os lábios, batons, cremes das mãos, desodorizantes e lacas de cabelo são todos considerados como líquidos.

As regras:

  • Que o líquido esteja numa embalagem com um volume máximo de 100 ml
  • Todas as embalagens devem caber confortavelmente dentro de um saco de plástico transparente, que possa voltar a ser selado, com uma dimensão não superior a 20 x 20 cm
  • Na segurança do aeroporto, este saco deve ser retirado da bagagem de mão e mostrado em separado.
  •  Tolerâncias de bagagem

Ryanair:


Cada passageiro (excluindo os recém-nascidos) está autorizado a transportar uma peça de bagagem de mão a bordo (gratuito). Estritamente um item de bagagem de mão é permitido por passageiro (excluindo os recém-nascidos). Sua maleta bolsa, laptops, compras nas lojas, etc câmera deve ser realizada dentro de seu permitida uma peça de bagagem de mão. Deve pesar mais de 10kg e não pode exceder as dimensões máximas de 55cm x 40cm x 20cm. Devido a restrições de segurança – alguns itens não podem ser transportados na bagagem de mão -Para a segurança e comodidade dos passageiros, a bagagem de mão deve caber embaixo do assento ou no compartimento de bagagem. Nós nos reservamos o direito de cancelar a reserva sem reembolso e negar-lhe o embarque, se você chegar no portão de embarque com mais de um item de bagagem de mão, ou se esse item exceder as dimensões máximas.

As restrições de segurança para bagagem de mão da UE/EEE exigem que a bagagem de mão de passageiros que contenham líquidos, géis, loções ou cosméticos líquidos TENHAM de ser apresentados no ponto de segurança de passageiros do aeroporto dentro de um saco transparente que possa voltar a ser fechado,com uma capacidade máxima de um litro (por exemplo, um saco de congelação com fecho de 20 cm x 20 cm). Apenas os géis, pastas, loções e cosméticos líquidos em recipientes de 100 ml ou menos serão permitidos nos pontos de controle de segurança de passageiros em todos os aeroportos da UE/EEE. Tenha em atenção que existe um limite de um saco de plástico transparente que possa voltar a ser fechado por pessoa.

(ilustração: brasileiros na Holanda)

Ou seja, a nécessaire é bem reduzida, no máximo 10 recipientes de 100 ml.  Então relaxe, leve tudo em embalagens de viagem e compre o resto por lá, em qualquer farmácia.

Na segurança, tem que apresentar esse saquinho, fora da bagagem de mão, assim como o notebook, celular, câmera , etc

Ou seja, além de tudo, a mala tem que estar arrumadinha, para poder ser aberta e fechada, sempre que for requisitado, sem espalhar tudo pelo security do aeroporto.

23
fev
10

o blog

Antes de continuar os relatos de viagem, e entupir o blog com mais fotos e estórias, quero agradecer aos leitores, pois apesar de poucos comentários, sei lá porque, tem tido um bom  ” leiômetro”. É que o wordpress tem uma ferramenta de estatísticas que mostra quantos e quais posts foram lidos, e mais um monte de informações que eu sinceramente não tinha ainda acessado, pois este blog é tipo um diário, daqueles da adolescência, onde a gente colava “o papel do chiclete que o cara que você estava a fim largou na lata de lixo da sala de aula” … e ainda escrevia o quão demorado tinha sido o olhar 43 que ele deu pra  você depois do recreio! Comecei esse blog, por causa da minha viagem à Paris, mas acabei deixando tudo para depois. Durante a viagem porque meu computador quebrou, e quando voltei, fiquei tão mal, que não tinha vontade de escrever. No ano seguinte, nova viagem, dei um up e com um computador bem pequeninho, que andou e anda comigo por todos os lugares, consegui postar mais e tomei gosto. Mas, cheguei de viagem e o calor me prostrou de novo e durante o ano, o blog andou bem meia boca. Nesta última viagem, peguei o embalo, e curiosamente o blog tem sido uma terapia para a depressão pós viagem. E eu escrevo para mim mesma. Um registro virtual e dinâmico.

No final das contas essa estória de blog vicia. Vê alguma coisa, e já bola algo para escrever. Uma mania que eu desenvolvi depois do computador. Eu tenho mania de mentalmente colocar coisas que eu vejo ou escuto,  nos “favoritos”,mentais, ou de “salvar” em algum arquivo do cérebro. É lógico, que é sempre bom ter um assunto legal, uma super viagem e fotos. Mas agora que eu peguei o hábito, virou meio Twitter (que eu não tenho muito saco).   Tenho vontade, sento aqui e escrevo. Como ainda estou organizando tudo, alguns posts antigos, estão sem categoria, com fotos meio truncadas, mas prometo relatar tudo que ficou de fora. e aos poucos reoganizar tudo. Até porque é um registro para mim mesma. Me imagino daqui a alguns anos, relendo isso tudo. Pelo menos posso resumir o número de agendas, onde anoto tudo o que eu fiz durante o dia.

Já me pediram para escrever sobre Paris e Londres, cidades que eu tenho mais intimidade, e posso falar com mais propriedade sobre o que fazer, quanto custa, etc, etc. Ah! tem um post prometido, que juro que vou fazer, sobre o “primeiro vôo internacional  a gente nunca esquece”. Também estou organizando os links, sites que eu pesquiso para planejar minhas viagens, blogs legais que eu vou descobrindo..Às vezes é bom achar tudo num mesmo lugar. Levei muitas horas navegando para descobrir coisas simples que se puder facilitar a vida de alguém, já valeu.

Então, valeu, brigadão!




Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

agosto 2019
S T Q Q S S D
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: