Posts Tagged ‘moda

03
jan
10

2 de janeiro, Camden Town

Camden Town já foi uma zona de comércio repleta de armazéns e estábulos militares mas atualmente é conhecido por seu mercado, pubs e clubes onde nos finais de semana, turistas e descolados em geral disputam as ruas em busca de novidades. Divertimento certo para todos, você ainda pode se deliciar nas inúmeras barracas de alimentação com variedades de várias partes do mundo.

Chegando em  Camden Town, ao norte de Londres, dá pra sentir que existe um fervo diferente,  muita gente, mas o clima é completamente diverso de outras regiões de comércio.

No meio dessa multidão, aparece um punk ou outro, pois o bairro foi berço do movimento. Hoje, é um misto de tudo o que você pode imaginar. Mercadorias de todos os tipos, das  tradicionais luvas e cachecóis, à camisetas de cannabis. É interminável… São ruas com barraquinhas, uma delas parece um labirinto, onde se vende de casacos de inverno, moda descolada, pins, botas. Mas você corre o risco de nunca mais sair de lá.  Saindo dessas muvucas, mais para o fim da rua, você dá de cara com enormes cavalos. É o Stables, uma espécie de galpão, também labiritístico, com tudo que a imaginação humana pode conceber à venda. Muito vintage, casacos de couro, brechós, malas antigas, cristais, roupa de segunda mão.

mas no meio disso tudo, um canal lindo, contrasta com o burburinho…

O cheiro que se sente é indescritível. Todas as comidas do mundo estão ali, a preços baratos. 4 pounds e você pode misturar tudo o que estiver vendo.

O que se ouve, conforme se anda, é uma mistura de salsa, música mexica, gaita irlandesa. Uma Babel com cara de feira hippie.

A impressão que se tem, é que é interninável, inexplicável e absolutamente caótico. Mas é isso que faz de Londres essa delicia.

Alguns exemplos do se pode encontrar….

Pianos e aula de música,

Lenços e pashiminas e uma mulher de mosaico…

Ir a Camden Town é uma experiência…

Mas atravessando a rua, você sai de um ambiente multicultural e multifacetado, do mais absoluto caos cultural à paz de uma ruinha silenciosa, onde só nós estávamos. Exatamente em frente ao Stables. Um contraste delicioso.

Anúncios
05
set
09

SAMPA 1


Há muito não apareço por aqui. Faltaram assuntos, disciplina, e principalmente viagens.
Mas setembro chegou com um calor absurdo e uma viagem que embora de pequena duração, foi extensa em prazer e gargalhadas.
Minha prima querida, minha irmã quase siamesa, é o elemento responsável por estes dias em São Paulo. Já é quase um ritual essa viagem e nos tornamos meio crianças, como quando passávamos os fins de semana na casa de Itacoatiara. Queremos nos divertir, rir e aproveitar a vida.
Tínhamos dois dias, livres, leves e soltas…Nosso único compromisso, seria um encontro de primas, que há muito não se viam.
Antes de partirmos, Patrícia me encumbiu de pensar em algo para fazermos. Ela já morou em São Paulo e eu não imaginava o que poderia ser novidade. Como sempre, debrucei-me na internet, pesquisando o que poderia ser, digamos, inusitado ou no mínimo,diferente. Optei por um destino que apesar de conhecido, eu tinha certeza que ela ainda não tinha ido. Com um calor insuportável batendo às portas, eu estava precisando de algumas peças de roupa adequadas à sauna que vem por aí. No aeroporto, sugeri à Patrícia que fossemos à tal Rua José Paulino, famosa por preços imbatíveis. Eu sinceramente não pensei que ela quisesse comprar nada, sugeri mesmo por achar que era algo novo para conhecer.
Sugetão aceita, chegamos ao hotel, nos instalamos e partimos para a tal rua. Após alguns minutos de viagem, imploramos à motorista que ligasse o ar condicionado. Em São Paulo, não se usa ar condicionado, mesmo depois dos trinta graus.
Chegando ao nosso alvo, percebemos que se tratava de uma aventura. Centenas de roupas de todos os tipos, expostas em centenas de vitrines. Ao contrário do que a descrição possa sugerir, não é um mercadão e, pelo menos nesse dia, não estava lotada. Começamos logo na primeira loja, que na realidade era uma sucessão de boxes, cada qual, com um tipo de roupa. Primeiro momento de emoção. Patrícia pergunta o preço de um blusa verde estampada de flores brancas que segundo nosso conhecimento, poderia custar uns 150 reais…Patricia, boquiaberta com o valor, lançou-me um olhar, meio em pânico, meio incrédulo. Percebi que ela tinha entrado em alfa naquele instante. Arrematou então, uma blusa linda, com brilhos, de festa mesmo, pela bagatela de 25 reais. Euzinha, mais calma, comprei uma bata por 20. Voltamos à calçada um pouco perturbadas. Patrícia parecia tomada por uma ausência, transitava por um limbo…
Continuamos entrando e saindo de lojas, cada vez mais incrédulas com os preços,nos dando ao luxo inclusive, de achar algumas peças muito caras! Até que entramos numa loja onde se lia uma frase decisiva. TUDO A PRECO DE ATACADO. Camisas de shantung, chiquérrimas, a 16 reais. Tudo mais ou menos nessa faixa de preço, até que Patricia se interessou por um casaquinho. Preço? 13 reais. Como assim 13 reais, murmurou Patricia, prestes a convulsionar alí mesmo, diante das vendedoras. Realizada a compra, partimos para as banquinhas de bijuterias, onde adquiri um colar de pérolas por cinco, assim como algumas puseiras, última tendência. Nesta barraca, Patricia em completo estado apoplético, me confidenciou que havia comprado algo parecido por uns 200!!! Para finalizar, comprei duas blusas pretas, por 5 reais cada.
O final da rua, é mais dedicado ao atacado, onde coreanos vendem vestidos maravilhosos de festa por 45 reais.

Patricia resumiu nossa passagem pela José Paulino. É uma experiência.
E a nossa experiência foi o máximo.
No próximo post… nossa aventura indiana.




Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

julho 2019
S T Q Q S S D
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: