Posts Tagged ‘Gran Via

28
maio
11

Re-viajando Madri 2

ESSE BLOG MUDOU DE ENDEREÇO:

http://www.maladerodinhaenecessaire.com

Gran Via – Madri

Ainda sinto o cheiro do café da manhã que tomávamos na esquina da Gran Via. -Café con leche e de comer? perguntava a mocinha… As opções eram: bocadillos o boleria?  Fiquei viciada em boleria… croissants recheados com dulce de leche. Nesse momento, pela manhã, planejávamos nosso dia em Madri.

É normal a gente querer ver absolutamente tudo o que tem para ver e conhecer quando chegamos a uma cidade pela primeira vez.  Mas depois de tantas viagens e tantas cidades,  eu aprendi a respirar e aproveitar o momento. E me deixar simplesmente estar ali. Se não, a ansiedade acaba estragando o prazer. No caso de Madri, com tantos museus Museu del Prado, Reina Sofia, Caixa Forum e tantos passeios, é simplesmente impossível “ticar a cidade”.  Mesmo assim eu sempre faço, a título de guia, uma listinha do que é tipo assim … básico.   Aí vai:

   1- PLAZA MAYOR (Construida sec 15/18) -Arco de cuchilleros
2- PLAZA DE LA VILLA CASA DE CISNEROS CASA E TORRE LUJANES
3-PUERTA DEL SOL
4- PALACIO REAL
5-CATEDRAL DE LA ALMUDENA
6- SAN FRANCISCO EL GRANDE (3 MAIOR CUPULA DA CRISTANDADE)
7- PLAZA DE ESPANHA REAL TORRE DE MADRID
8- TEMPLO DE DEBOD
9- EDIFICIO METRÓPOLIS
10- BANCO DE ESPANHA
11-FUENTE  CIBELES
 12-PUERTA DE ALCALÁ (CARLOS III SIMBOLO DE MADRID)
 13- JARDINES DEL RETIRO
  
Até aqui, fizemos tudo em um dia.  E esse parque merece um boa caminhada.  É lindo! Há inúmeros monumentos, fontes,  estátuas, e racantos tão maravilhosos que é impossível dar só uma entradinha. Então, passamos a tarde inteira nesse paraíso.
Nele estão :
14-MONUMENTO A AFONSO XII
15- PALACIO DE VELAZQUEZ
16- PALÁCIO DE CRISTAL
  17-PASEO DE LAS ESTÁTUAS
18-  FONTES E MONUMENTOS (são tantos que eu não consegui decorar)
No dia seguinte, fomos para a parte moderna, a Cuartro Torres, business area, onde estão enormes edifícios e a Puerta de Europa.
Para chegar ao Passeo de Castelhana,  há duas estações de metrô que servem esta área, pegando a linha azul, salte na Plaza de Castilla ou em Chamartín.  Nesta região, há também o
19-Estádio Bernabéu.
20- TORRE PICASSO (MESMO ARQUITO DAS TWINS TOWERS)
21- QUATRO TORRES (BUSINES AREA)
22- PUERTA EUROPA
fonte: ModernSpain.com
Já estávamos tão íntimas da cidade que resolvemos ir  ao mais novo shopping de Madri onde passeamos como se o lugar tivesse aberto só para nós. O shopping La Gavia, é moderno e aconchegante ao mesmo tempo. É bem fora da cidade, mas de metrô, em vinte minutos a gente chega lá. Mas preste atenção. Existe a estação de metro La Gavia, mas a gente tem que saltar em Las Suertes e andar uns cinco minutos em uma região de condomínios estalando de nova.
Metrô de Madri
E super valeu a pena. Todas as lojas estão lá, e tivemos que ter muito autocontrole pois as rebajas espanholas são indescentes.
E para fechar os must see, a região dos museus. Mais auto-controle! Não dá para ver tudo! É um fato com o qual sempre tenho que me confrontar.
O Reina Sofia estava fechado, então, sem culpa partimos para o Museo del Prado.
A gente pode comprar as entradas, nessas máquinas de auto-atendimento. Rapidinho!
Lá dentro, Goya, Velasquez, El Greco!
Ufa!
É… foi difícil dizer adeus a Madri. Mas Milão nos esperava, lá no norte da Itália… No próximo post, prego!
Anúncios
20
maio
11

Re-viajando Barcelona – Madri

 De Barcelona a Girona, de onde partem os vôos da Ryanair, é simples. É só ir até a Estacion Nord, uma espécie de terminal rodoviário, comprar as passagens do Barcelona Bus, (21 euros ida e volta) em pouco mais de uma hora, chaga-se ao aeroporto.
 Eu simplesmente adoro essa hora. Minutos antes de pegar um vôo para conhecer um novo lugar, quando no quadro aparece o número do portão de embarque. É hora de voar! E de toda a expectativa de chegar a uma nova cidade.
Desta vez, Madrid! Mesmo voando pela Ryanair, que normalmente utiliza aeroportos alternativos, aterrisamos em Barajas, o aeroporto principal da cidade de Madri. Há tempos eu queria conhecer a capital da Espanha, mas sempre acabava adiando. Tantas notícias sobre brasileiros sendo barrados e passando por situações constrangedoras, ao chegar em Madrid, me faziam sempre pensar duas vezes e escolher outros destinos. Mas dessa vez, com nossos passaportes lotados de carimbos, tomei coragem e devo dizer que a pechincha da passagem (10 euros mais 5 de taxas) foi o empurrão que eu precisava.  Acabou que não houve imigração alguma! Saímos diretamente no saguão do aeroporto! Acho que o vôo vindo de Barcelona, é considerado doméstico. Et voilá! Estávamos em solo madrilenho, sem nenhum problema. O aeroporto de Barajas é moderníssimo e enorme, mas muito bem sinalizado e com um quiosque de informações eficiente.
E a forma mais econômica e rápida de chegar ao centro da cidade, é de metrô que tem uma estação dentro do aeroporto.
Dois euros (1 euro de taxa do aeroporto) e você chega rapidinho ao seu destino. É o transporte mais barato ever! Considerando todos os transportes entre aeroportos e o centro das cidades que já peguei.
É facílimo comprar os tíckets nas máquinas de auto atendimento. A estação é limpa, moderna  e praticamente vazia. E andar facilmente por todos os meios de transporte é uma das vantagens de  viajar leve, com pouca bagagem! O hostal havia me mandado por e-mail, as direções e conexões que deveria tomar e lá fomos nós.
Mas a emoção que não tivemos na hora da imigração, tivemos na segunda conexão do metrô, na estação de Nuevos Ministérios.
Não fosse eu uma psicótica, que anda com tudo acorrentado dentro da bolsa, teria ficado sem minha carteira. Contei tudo nesse post aqui.
Aliás, atenção quando for à Espanha, principalmente nas cidades turísticas. Nunca, ninguém vai te apontar uma arma. Mas os golpistas, pickpokcets, batedores de carteira, etc. são treinadíssimos, feras mesmo e famosos por melar a estadia de muitos turistas.  Há várias maneiras de surrupiar sua bolsa, câmera ou carteira. Eu mesma nem senti quando enfiaram a mão na minha bolsa. Felizmente tudo que levaram foi um maço de cigarro de menta. Mas a regra geral é nunca deixar sua bolsa nas costas de alguma cadeira, evitar bololôs de gente, não se distrair com nada e ter sua bolsa sempre à sua frente. Não é a toa que a última moda é bolsa a tiracolo.
Passado o susto,  chegamos finalmente ao Stad Madrid.  Saltamos na estação Gran Via, em plena “shopping area”, movimentadíssima, com prédios deslumbrantes!
Por fora, a localização do hostal era meio tosca. Na realidade o Stad Madrid fica no segundo andar de um edifício comercial e  nosso quarto parecia uma pequeno paraíso, depois do susto do metrô e da chuva torrencial que despencava.
No mapa acima, estão os principais “must see” da cidade. E a Gran Via é um excelente ponto de partida, pois fica bem central. Além disso, se locomover em Madri é facílimo. O metrô é barato e fácil de entender as conexões. O bilhete unitário custa 1 euro, mas nós optamos pelo bilhete de 10 viajens (9,30 euros), que pode ser usado por várias pessoas, e é mais do que suficiente para ir aos pontos turísticos. Há também os bilhetes de abono turístico, que valem para todos os meios de transportes. Mas sinceramente, andar é a melhor maneira de respirar Madri.
Passear pela Gran Via é passear por diversos estilos arquitetônicos.  Começando na Plaza de Cibeles, as construções parecem saídas de Paris  do século XIX.
Edifício Metrópolis
Palácio de la Prensa
Mas é na Plaza Mayor que a gente sente que está em Madri.
Situada bem no centro da cidade, esta praça foi inaugurada em 1620 durante o reinado de Felipe III. Foi palco de muitos eventos, incluindo execuções públicas durante a Inquisição Espanhola.
Placa em homenagem aos mortos do mais grave atentado terrorista da Espanha.
Bem perto, o Mercado San Miguel, é o ponto certo para reabastecer.
Dá água na boca, passear por entre as guloseimas expostas nos stands. Imperdível!
Ande mais um pouquinho pela Calle Mayor e tcharam… Puerta del Sol! É uma outra enorme praça, não menos famosa, linda e  movimentadíssima também.
Pronto! Já estávamos apaixonadas por Madrid!
Tem mais no próximo post! Até!
22
fev
11

Madrilenha desde criancinha!

É só mesmo um aperitivo… vou ter que voltar a Madri! ! E lógico, um post só é impossível! Devagarinho, assim depois de uns vinte minutos, já estava empolgadíssima com Madri!

E agora, eu simplesmente estou amando Madrid! Não sei exatamente porquê. Acho que é pelo fato de ser realmente fácil se locomover, se fazer  entender  e entender o que se fala,  (graças ao meu curso intensivo de um mês de um ano e meio atrás), mas o fato é que estou me sentindo à vontade e totalmente integrada.

Começar por Madri Antiga,  saindo da Gran Via, um show de construções  do início do século 20, prédios maravilhosos em Art Decô, e um comércio enlouquecido, com todas as lojas que se pode imaginar.

Turisticamente falando, Madri é bem fácil de ticar os must see da cidade. E a Gran Via, eu diria, é a partida ideal para todos os pontos. Essa avenida linda de dar torcicolo, vai da Calle de Alcalá (onde está a Fuente Cibelles e a maravilhosa Puerta de Alcalá) até a Plaza de Espana (não menos maravilhosa).

Gran Via

Não dá para não ficar olhando para o alto o tempo todo. Até para fazer um lanchinho no MacDonalds, é chic!

Prédio da Telefonica

Na direção sul, qualquer rua é maravilhosa! Pegando a Calle dos Preciados, vamos dar na Calle Mayor  e assim, sem querer a gente dá de cara com a Plaza del Sol, com esse edifícios pálidos, em arco. É aqui que se comemora a passagem do ano!

Depois que o coração volta ao normal, tcharan! Puerta del Sol!

O centro de Madri é aqui! Mesmo!

E aí, é continuar andando pela Calle Mayor…

E vem a Plaza Mayor!

E aí, eu quiz realmente uma Barsa (aquela enciclopédia gigantesca), para relembrar todos os detalhes da Madri antiga, pois eu sei que aqui, acontecia tudo! De tourada à execução da Inquisição Espanhola.

Minha conclusão foi que todo o ser humano que estuda história tinha que ganhar um kit que obviamente incluiria uma viagem a Europa. Assim faz todo o sentido!

Daí em diante, como disse Carol, o coração pulava uma batida e ficou meio descompassado.

Mercado San Miguel

Plaza de la Villa (prédios mais históricos da cidade)

E aí descontrolei de vez!

Catedral de Almudena!

Nesse ponto, exatamente eu descompensei total!!!  E o vem pra frente, fica para o próximo post! Amanhã é nosso último dia e temos que aproveitar!!!

Até!

20
fev
11

De Barcelona a Madri, fortes emoções!

Barcelona ontem se desculpou pelo dia de chuva torrencial que tivemos.

Interior da Sagrada Família (pavimentada, com o altar terminado!)

Sagrada Família (entrada)

Cinzenta, Barcelona perde muito do contraste de suas construções e do mar Mediterrâneo!

Mas quando acontece de ficar azul…

Barcelona se mostra em todos os tons!

Teleferic de Monjuic

Castelo de Montjuic

O Mediterrâneo… E o Hotel W, inspirado na forma de uma vela, desenhado pelo catalão Ricardo Bofill (assim como a Torre de Agbar, a construção até hoje é polêmica)

Fonte (sol.sapo.pt)

E nós lá…

Barceloneta

Deixamos Barcelona depois de um dia intenso, com direito a fim de tarde no Parc Guell e fim de noite num pub ao lado no nosso Hostal;

E eu senti como se estivesse saindo de casa para viajar.  Tanto que resolvi ir andando do HostalCentral até a Estació del Nord (que todo mundo chama de Norte mesmo), de onde parte o Barcelona Bus para Girona (aeroporto lowcost). 20 minutos de caminhada, levando as malinhas, e para despedida…

O Arco do Triunfo de  Barcelona! E quase 15 graus de temperatura! E eu suando…

Madrid estava na fila há muito tempo, mas o estímulo lowcost veio quando vi as promoções da Ryanair de Barcelona para cá. 1o euros! O próximo passo (desafio) era encontrar um hostal, albergue ou algo parecido que coubesse  no orçamento.

Fila para entrar no avião.

Depois de muita pesquisa, reservei o hostal e recebi, junto com o e-mail confirmando a reserva, instruções (também lowcost) de como chegar. Diferente de todos os vôos da Ryanair, em Madrid, o vôo chega em Madrid- Barajas mesmo. Em vez do tradicional ônibus (lá do aeroporto nos cafundós do Judas até o centro da cidade) as instruções eram todas pelo metrô, que sai diretamente do aeroporto. Três conexões e estaríamos no Hostal Stadmadrid.  Simples assim. Preço do bilhete? 2  euros, já incluindo o adcional do aeroporto que é um euro. Uma pechincha! Por que a emoção??? Porquê  aqui tem o golpe do bololô do metrô.

Funciona da maneira mais imbecil. Quando  abre a porta do trem do metro, um cara se finge de perdido, ou que está procurando alguém, e atrapalha a sua entranda no trem.   Você se distrai, ele abra a sua bolsa e byebye sua carteira! Ou pior!!! Passaporte e cartão ou dinheiro ou tudo junto!

Carol entrou no trem… o tal cara alto e feio  ficou embarreirando a minha entrada até que um outro rapaz gritou –   la carteira! Quando me virei, o cara ja tinha saido correndo,  a porta do trem tinha fechado e eu quase desmaiei!   Em dois segundos, imaginei tudo o que iria acontecer… nós duas sem uma moeda, sentadas no chão do mesmo metro, pedindo esmolas!

Carol, num tom de lilás no rosto, olhou para mim sem acreditar, até que eu me sentasse num banco e conseguisse realizar o tamanho do prejuizo!Depois que consegui parar de tremer e abri minha bolsa, constatei que estava tudo lá! Câmera, a carteira, dinheiro e os passaportes.  Pois o imbecil só conseguiu levar um maço de cigarro de menta!!! HAHAHAHAHAHA! que deve ter sido, o quê o rapaz viu o tal elemento levando na mão. Minha carteira que continha simplesmente todas as  passagens e os passaportes e é enorme!) estava presa por uma correntinha ao fecho da bolsa, e o cara não conseguiu nem abrir o ziper da minha bolsa o suficiente para completar a tarefa. O pior é que eu e Carol lemos todos esses golpes num blog de uma moça que mora em Barcelona, e que dias antes de viajar tinha tido sua bolsa roubada com todos os cartões de crédito, detalhe… pela terceira vez  ( depois eu encontro o blog). Quando chegamos no alberque, a moça da recepção nos deu uma lista do que não fazer, incluindo nunca deixar sua bolsa nas costas, ou pendurada na cadeira.  Então,  em Barcelona (como no Rio),  eu parecia uma louca apegadíssima à bolsa, com ela sempre na minha barriga, e nunca, jamais deixava em lugar algum que não fosse o meu colinho. Nunca mesmo, principalmente em lojas, supermercados e lugares em que naturalmente a gente se distrai.   Mas aqui, na hora do metro, esqueci e agarrar a bolsa, pois  estava carregando a mala e lógico, devia estar estampado no meu olhar, sou turista! Mas no geral, eu estou sempre com uma bolsa a tiracolo, e pareço um daqueles numeros de mágicos, cheios de correntes, tudo agarrado e conectado, tanto para não esquecer como para dificultar esses ladrôes que podem melar uma viagem em um segundo. E Madrid? bom, conheci a linha circular, pois depois do incidente, perdemos a estação e como o nome da linha diz, é circular, demos a volta inteira! As instruções estavam certíssimas e chegamos ao Stadmadrid sem dificuldades (e graças a Deus, com todos os meus pertences)  embora sob a mesma chuva que caiu em Barcelona. Mas como sempre tem uma compensação, o Hostal que eu não daria nada por fora, fica a incríveis 2 minutos a pé da Gran Via, a maior rua de comércio, lotada de lojas conhecidas, e  oferece um quarto bem decorado, cheiroso, cama confortável, com armário espelhado, televisão  e banheiro !!! Pelo mesmo preço que eu pagaria por duaas camas em um quarto compartilhado, com banheiro idem.

E esses simpáticos touros (são as toalhas, hehehe!).

Amanhã, sim… Madrid! E um Free tour oferecido pelo Stad Madrid!

Olé!

Atualizando… O blog que mencionei é o Achados, da Dri Setti e é o primeiro na lista do blogroll.




Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

novembro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter


%d blogueiros gostam disto: