Arquivo para janeiro \25\UTC 2011

25
jan
11

Richmond Upon Thames

Semana passada tínhamos programado um cineminha. Semana chuvosa… mas de repente abriu um dia lindo, desses que merecem ser aproveitados mesmo por poucos momentos. Abri meu mapinha e partimos para Richmond.  Para entender, Greater London tem 32 bouroughs, que são áreas administrativas, 12 estão em Inner London e os outros 20 são em Outer London.

Quando a gente sai de Richmond Station (Trem e Metro), a sensação é que estamos numa outra cidade.  Parece uma cidadezinha de brinquedo, com tudo que tem a cidade de verdade, mas parece de brinquedo. Eu já tinha programado um dia em Richmond, mas o sol resolveu aparecer e eu resolvi ir só para um aperitivo, pois é passeio para se sair de manhã e voltar à tardinha.

A impressão é que estamos no interior, num lugar a kilômetros de Londres, numa mini-cidade. A rua principal tem a maioria das lojas  que encontramos na cidade, mas é tudo mais calmo. Mas o Thames… aqui é completamente diferente, e  vem de mansinho pertinho da gente… No verão, deve ficar parecido com Búzios, pois a margem é lotada de barzinhos com guarda-sóis…

O lugar foi sempre muito bem frequentado. De Henrique VIII a Mick Jagger, ricos e famosos, todos fãs do pequeno paraíso (nem tão pequeno, Richmond Park é enorme).

Esse pedaço enorme de calma e beleza, a vinte minutos de Central London!

E flagramos Papai Noel num cochilo ao  sol…

Eu queria que o tempo parasse um pouquinho.  Tínhamos que escolher ver tudo isso correndo e correr mais ainda para Hampton Court Palace e Kew Gardens, ou nos deixar levar pelo momento. Me dei de presente não ter pressa. Nem o Palácio, nem Kew vão sai andando, mas saber quando a gente está num momento  de felicidade, tem! Decidi aproveitar uma coisa de cada vez (em Londres, eu posso!)

E nos demos o direito de simplesmente estar ali. Um prazer desses inesquecíveis.

E a tarde foi chegando …

O Thames mais íntimo do que nunca, quase molhando nossos pés… Cachorros felizes e seus donos (deu saudade de Marie!)  e a gente foi assim, absorvendo o lugar, com calma que o lugar deu para a gente.

Bateu vontade de ir ao toalete? É só seguir as placas. Todo e qualquer parque no Reino Unido, tem banheiro limpo, e eu não sei porque sempre me surpreendo, tem papel!!!

Depois desse hiato no  tempo, vale uma caminhada na cidade, para um café amigo e esquentante.

Por uma subidinha, voltamos à cidade, que é uma gracinha, tudo pertinho.

 

Lá em cima, tem o vai e vem dos ônibus, carros, gente fazendo compras e aqui em baixo, essa paz.

E mesmo perto de um mega parque desses, tem …. um pracinha para quem se estressou ao se afastar do verde!

E depois de andar pelas ruinhas

e fazer uma boquinha na rua principal, a noite caiu, lindinha, com uma lua louca, gorda e redonda. O pontinho branco aí na foto de baixo.

Bom, né?

Para ir a Richmond – Em Westminster Station, pegar a District Line em direção Richmond Station ou em Waterloo Station + South West Trains para Richmond Rail Station (de metro é mais fácil).

See you!

 

Anúncios
23
jan
11

London, de tudo um pouco.

Esse parque fica no quintal do condomínio onde estou.

Ai, ai…. agora sim, o friozinho está como eu gosto! Nesta semana, saimos da faixa dos 10, 12 graus e entramos nos 3, 5 ou 7.  Mas de uma maneira geral o inverno, depois de toda aquela nevasca, está ameno.

Eu preciso confessar. Tenho chegado tão cansada de ziquezguear pela cidade que quando penso no que escrever e descrever tudo, já estou abraçada ao meu ursinho, ouvindo a LBC, e caio no sono com o computer e tudo no colo.  Eu que vivo trabalhada na insônia, aqui,  com esse friozinho de puxar o cobertor,  ando dormindo muito! (meus amigos que estão vivendo os 40 graus a sombra, me desculpem, por favor!)

Mesmo assim, vou tentar responder  algumas perguntas e dúvidas, na base da prática mesmo.

Primeiro, quanto se gasta num dia por aqui? O limite é o céu! Ou o limite da sua conta bancária, do seu cartão de crédito ou de quanto você economizou.

Mas para quem é duro e está viajando na coragem, ou está vindo para estudar, alguns preços são a diferença entre mais um dia, mais uma refeição, mais um passeio. E eu sempre viajo assim, e aqui em Londres, eu meio que moro, faço compras de supermercado, pago aluguel, ando de ônibus e levo sanduba para passear. Mas como qualquer mortal, um capucino às vezes é uma questão de vida!

A cidade é cara, para quem não ganha em libras, mas existem saídas honrosas.

Supermercados = para quem vai ficar em albergue, e alguns hostels, ou mesmo num shared flat, tem sempre uma cozinha à disposição. E tem comida congelada de exelente qualidade  em todos os supermercados. Indiana, chinesa, thailandesa, arroz pronto, feijão em lata,todos os tipos de pão e respectivos recheios,  peixes fritos (só esquentar no forno) maravilhosos e com 2 ou 3 libras você faz uma boa refeição. Saladas fresquinhas, limpinhas, ensacadas a escolher. É só abrir e colocar no prato a 1 pound.  Asda, Tesco, Marks & Spencer,  são as grandes redes, e no TESCO, no fim da tarde, tudo que é perecível e que vence no dia seguinte, fica pela metade do preço.As pastinhas (fillers) para sanduiche, estão na faixa de 1 pound.  Na rede ICELAND (terra dos congelados)  a gente encontra refeições congeladas (gostosas)  na faixa de 1 a 5 libras, e ainda tem sucos *quaase sempre em promoção, tipo pague 1 leve 2, queijos, leite e pão de forma (de 60p a 1pound o pacote).

Refeições Rápidas = Londres é a cidade da correria, e tem cadeias  de fast food de tudo que é tipo e nacionalidade. Pret a Manger, Eat., são  exemplos de bons capucinos (1,95 a 2,20 pounds) , sopas e sanduíches, Starbucks 4,90 (um capucino e um muffin), e para comer mesmo, Nando´s, Pizza Express, WagamamaITSU, servem refeições saudáveis e honestas a preços razoáveis (é só conferir nos respectivos sites). Mac Donald´s ? com 8 pounds dá para fazer aquele Mega lanche! mas com 2 ou 3 libras, dá para fazer uma refeição razoável.

SAM 4080

Pubs = Bom, aí vai depender de quantas pints você tomar. Pint é uma caneca enooorme com a cerveja que você escolher (e pagar no balcão). E tem muitas para escolher! Alguns pubs tem uma espécie de Happy Hour e fazem 50% de desconto. Pint =3,70 Fish & chips 6,50 pounds.  Para procurar um pub este é o site = http://www.fancyapint.com/. Não deixe de entrar em um pub, a decoração, o clima, tudo é típico e cotidiano, mais típico impossível. Os pubs estão sempre cheios ao cair da tarde, mas tem um em cada esquina. Em Leicester Saquare, são muitas opções.

Atrações turísticas = caras a caríssimas! Ou totalmente Free! de grátis mesmo! Todos os museus (maravilhosos) são de graça, parques e jardins (e em todos é possível encontrar banheiros limpos e com papel!!!, Viva a Rainha!). Mas dá para ser absolutamente feliz sem andar de London Eye, principalmente se o dia estiver chuvoso.

99p stores, Poundland, Poundstore, etc = tem de tudo! tudo mesmo a uma libra. De toalha à maquiagem, papelaria, coisas para a casa, acessórios, ferramentas e alimentação (café solúvel, biscoitos, snacks, batata frita) e até chip para celular… se vir uma na frente não titubeie! Entre e garimpe!

Markets = os mercados de Londres são minha paixão! Cada um tem uma característica própria.  E uma característica em comum, comidinhas…

Em Camden Town, por exemplo, tem tantos stalls de comidas quantas nacionalidades há em Londres. E os orientais principalmente, ficam oferecendo pequenas amostras de seu tempurás e outros  quitutes … outro dia passei por lá e quase nem precisei almoçar, pois experimentei muitos! Com 4 pounds, sem nenhum conforto, mas em meio a uma Babel enlouquecedora, ouvindo todas as músicas do planeta, você come um belo prato de alguma culinária do mundo.

Outra dúvida que sempre aparece Como se vestir (principalmente no inverno!)

Acredite, Londres não é um desfile de moda o tempo todo nas ruas!!!

Eu talvez não seja a pessoa mais indicada (vide pots sobre a malinha), mas o grande big hit e super tendência no momento ( e nos últimos cinco anos, que tenho estado por aqui nesta época) é …. o casaco de nylon (padded coat, filled coat, doudoune etc) em matelassê, com capuz e pele ou pelo falso + bota+ cachecol ou pashimina + luva e /ou gorro. No meu caso, as luvas são de fundamental importância, já que  de nada adianta toda a blindagem se as mão congelarem! Procure (também nos mercados ou vendedores que colocam suas mercadorias na rua, luvas com Isulation, que vedam mais contra o frio e ovento.

Hay´s Galeria (Bankside)

Cor da moda (nos últimos 5 anos) preto! com algumas excessões para o vermelho, bege e cinza. Pelas fotos a gente tem uma idéia da maoria. E é fácil entender porque. Na hora do frio mesmo, esse tipo de casaco é seu personal edredon, uma blindagem entre você e o vento, chuva e neve.

Camden você compra sua refeição e procura um lugar para sentar e comer… Ou como em pé mesmo, como todo mundo faz.

Detalhe= casaco de nylon forrado para todos!

Hora do Rush = toda trabalhada no casaco de nylon  e no negro como tendência contemporânea!

*8 entre 10 usam. E eu só entendi o porquê, quando comprei os meus ( na Zara), e dei adeus ao frio que adentrava a minha alma!  O mais inacreditável é que não é tão fácil assim de achar, mas todo mundo tem um ou mais!

Para finalizar… a regra em Londres é não ter regra alguma! Londres não é cidade para preconceitos. Você pode se vestir como bem entender, com quantas cores quiser, colocar uma peruca amarela e por cima um headphone enorme e sair se sentindo linda! Ou então, se o frio apertar, manda um cobertor por cima de tudo e só deixe os olhos de fora! Aqui, PODE!

Até!

Abaixo uma barraca, com objetos esquentantes em Covent Garden

21
jan
11

Londres, um parque para cada momento.

Cheguei nessa rua meio  assim… Onde é que eu vim me meter?? Uma rua linda, toda arborizada e quando dei o primeiro passo, vi logo um guarda saindo de uma guarita.  Achei que estava cometendo alguma contravenção, mas é só porque essa rua é lotada de embaixadas! Bandeiras e bandeiras tremulavam ao vento, e eu lá…

Vista aérea ( é logico, eu ainda não aprendi a a voar!) de Kensington Gardens e Hyde Park.

Eu nem sei se já tinha estado  em Kensington Gardens antes… É facil estar nesse parque real sem se dar conta, uma vez que está ao lado do Hyde Park. Ou mais fácil ainda, nem chegar a ele, um vez que o seu vizinho é mais badalado e famoso. Mas Kensignton Gardens é real, pois  foi comprado pelo Rei William III, que sofria de asma (tadinho!) em 1689, e decidiu construir ali o Palácio de Kensignton para onde toda a corte se mudou.

 

O cenário todo é mais formal que Hyde Park, mesmo a vegetação sendo a mesma. Neste parque, não tem show de rock, nem aglomeração, nem jovens fazendo malabarismos com patins. É mais contemplativo. Mas não é nada mau, pegar um café, um jornal, ou um livro, e sentar num dos bancos e simplesmente estar alí.

E eu ia fazer exatamente isso. A outra entrada do parque dá para uma rua movimentada, a Bayswater road… ia pegar um café, meu livro já estava na bolsa.  Antes ia passar no Princess Diana Memorial Fountain, que também fica no parque …

Acho que os portões dourados da entrada do Palácio dão o toque real até aos cisnes. Que aliás, são simpatissíssimos e super sociais. Parecem adestrados. É so chegar perto do Round Pond, que vem todos em fila… Saem do lago, e se dirigem mui respeitosamente, aceitando um petisco.

O Palácio em si, (como muitos cantos de Londres), está em plena transformação (reforma mesmo) para os Jogos Olímpicos.

Quando eu estava no auge da animação, um temporal real despencou e todas as fotos saíram, digamos, borradas, porque eu estava correndo mesmo!

Mas para se ter mais uma idéia do lugar, mais uma imagem

File:London Serpentine Bridge from East.jpg

Serpentine Bridge (foto wilkpédia).

Memorial Princess Diana  (mesma fonte).

Acabada a chuva, peguei meu Oister e fui cair em…

Só conto no próximo post!

 

20
jan
11

Londres IU (info úteis) 2 – como se locomover

Ok, você chegou em Londres, e agora?

Para se locomover pela cidade, que não é pequena, você vai precisar de transporte.  Para quem vai ficar 1 ou  até 7 dias,  existem os Travel Cards de papel.  Você compra para as zonas que vai passar .  Para um turista as zonas 1-2 são perfeitas e você pode viajar quantas vezes quiser de ônibus e metrô.

Mas para ser mais  prático ainda, e talvez economizar, o melhor é o Oister Card.

Oystercard.jpg

Então, a primeira coisa a fazer é procurar uma máquina como a da foto, ou um guichê (em qualquer estação de metro, algumas estações de trem), ou um dos zilhões de  pontos de venda espalhados pela cidade (minimercados, tabacarias, news agents, etc) e comprar o seu Oyster (por 5 libras de caução, o que quer dizer que você pode devolvê-lo e receber o dinheiro de volta).  Com o Oyster na mão, há várias maneiras de carregá-lo.

Pay-as-you-go=  no mesmo lugar (máquina, ponto de venda ou guichê) você compra créditos (com um celular pré-pago), sempre múltiplo de 5. Cada vez que você usar o cartão num meio de transporte ou seja, em cada viagem, o sistema calcula a tarifa mais barata e desconta do total. É sempre mais barato que o bilhete avulso!

Travel card = é a mesma coisa do papel, só que você pode escolher. Só Bus and Tram (que é o mais em conta, pois não encarece se você mudar de zona, como o metrô),  e você viaja quantas vezes você quizer, sem se preocupar se mudou de zona, ou quanto ainda tem de crédito. Vale pelo tempo que você optou. Ou Bus and Tram and Tube, DLR (Docklands Light Railway) e London Overground (27,60 libras), dessa forma, você pode andar de metro (nas zonas escolhidas e pagas) e de ônibus (para tudo quanto é lado).

Cash Single Oyster pay as you go Bus and Tram Passes
Pay as you go Daily Price Cap 7 Day Monthly Annual
£2.20 £1.30 £4.00 £17.80 £68.40 £712

Como usar=

Nas estações de metro, você tem que encostar o cartão no leitor nas passagens individuais no início de sua viagem e no final, quando sair para a rua. Assim, o sistema fica sabendo em que zonas você esteve e calcula a tarifa a ser descontada, no caso de ser Pay as you go. Ou para o sistema conferir se o seu Travel Card é para aquela zona.

Ônibus

Também tem que encostar o cartão no leitor na entrada do ônibus. Se for pay as you go, aproveite e veja no visor, quanto dinheiro você ainda tem no cartão ou quantos dias ainda tem no caso de Travel Card.

 

E ainda tem o River Bus que são os barcos que fazem vários trajetos no Thames e quem tem o Oyster Card, tem 30% de deconto nas viagens.

Acabaram seus créditos e quer tomar um ônibus?

Ao lado de todo ponto de ônibus tem maquinas como essa, nas quais você pode comprar um bilhete avulso, por 2,20. É mais caro, mas pelo menos a gente não fica a pé. Atenção! Apesar dos ônibus não terem aquelas catracas horrososas e constrangedoras, e de também não terem trocador, tenha sempre seu Oyster, ou o TCard de papel ou o ticket dessa máquina ou ainda o dinheiro trocado (nem todas as linhas aceitam que você pague direto ao motorista). A multa para espertinhos é pesada!

O improtante é que  vale muito a pena andar de ônibus em Londres. Primeiro que a gente não precisa fazer uma escalada para “subir´´ no ônibus que na realidade, fica quase na altura da calçada, o que permite que mães entrem com carrinhos de bebês, senhorinhas com seus carrinhos de compras ou seus andadores, e cadeirantes entram tranquilamente por uma rampa automática que desliza por baixo do ônibus (e não aquele elevador horroroso, que além de demorar séculos para subir e descer, emperra, e obriga o motorista a descer para consertar, deixando todo mundo tenso!)

Continue lendo ‘Londres IU (info úteis) 2 – como se locomover’

17
jan
11

Londres, informações úteis 1 (aeroportos e transportes)

Chegar  a Central  London vindo dos aeroportos não é difícil.

São 5  aeroportos. Heathrow, City, Gatwick, Luton e  Stanstead. Já parti ou cheguei de todos eles e todos tem uma maneira econômica de se chegar ao Centro de Londres.

Heathrow

É o aeroporto que suporta um dos maiores tráfegos de vôos internacionais do mundo. E normalmente os vôos que vem (sem escalas) do Brasil, chegam em Heathrow.

Opcões para chegar a Londres

Ônibus

National Express 6,20  GBP  (só ida)

Partida -todos os teminais de Heathrow

Chegada – Victoria Coach Station (daí pode haver uma ligação para outros pontos de Londres, mas precisa mudar de ônibus)

Bagagem – até 2 malas médias

Duração – 1h 15 (média)

Venda de tickets – central de viagens do aeroporto, pelo site, direto com o motorista

Tickets for all coaches can be bought from the travel centre at Heathrow central bus station or booked in advance with the operator. You may also be able to buy a ticket from the bus driver, subject to availability. Passengers using Terminal 5 will find a National Express ticket office inside the terminal, in the international arrivals area.

Trem

Heathrow Express

É sem dúvida a maneira mais rápida de chegar no Centro de Londres. Os trens circulam de 15 em 15 minutos.

16,50  GBP (só ida)

32,00 (ida e volta, vale por um mês)

Partida – Heathrow Central (terminais 1 a 3 e 5), terminal 4 – pegar um shuttle (grátis) para a central

Chegada – Paddington Station (é uma estação de metrô  bem central, perto do Hyde Park e Oxford Street) e de lá pode-se pegar o metrô para qualquer canto da cidade.

Venda de tickets – pela internet Heathrow Express, na estação em máquinas automáticas, que aceitam notas, moedas e cartão de crédito.

Metrô

Há três estações de metrô em Heathrow – uma na área central –  terminais 1 e3 , uma no terminal 4 e outra no terminal 5 (fácil de achar)

Picadilly line (duração +- 1 hora)

só ida aproximadamente 5,00 GBP

Venda de tickets –  em todas as estações nos guichês e nas máquinas automáticas.   Se comprar um Travel Card ou o Oister (cartão de transporte), já pode usá-los nos outros meios de transporte.

TFL Ótimo site para planejar suas viagens em Londres, Journay Planner – é só digitar de onde e para onde e o site indica os meios de transportes que você escolher, tempo de duração da viagem e as estções e paradas de ônibus relacionadas.

Táxi uma facada no orçamento, dependendo da hora umas 70 GPB. Há varias empresas on-line que oferecem o transfer.

City Airport

É o mais central. Normalmente é para vôos para cidades da Europa. Quando venho do aeroporto de Orly, é sempre lá que aterrissamos.

E de longe eu prefiro o DLR (Docklands Light Railway), o terminal para pegar o DLR é bem na saída do aeroporto.

Partida – na saída do aeroporto

Duração – 22 minutos

Chegada – Monument ou Bank Station ( de onde pode-se pegar outro trem (metrô) ou ônibus para o seu destino.

Preço – 4,00 GBP   (em dinheiro)

entre 2,50 e 2,90 (Oister)

Docklands Light Railway Train

Shuttle Express Service

É um ônibus especial que liga o City ao centro de Londres.

Mas os 28,00 GBP  são uma facada desnecessária.

Táxi

Depende muito de qual ponto de Londres será seu destino. Para uma estimativa – Oxford Street 30,00 GBP

Gatwick Airport

Alguns vôos da lowcost Easyjet  partem desse aeroporto.

Trem

Gatwick Express

Partida – Gatwick Airport

Chegada – London Victoria Station ( a estação de ônibus e praticamente do lado)

Duração 30  min

Sem paradas

First Capital Connect

Mais em conta.

preço – de 7,50 GBP  a 9,50 GBP (válido para o dia todo)

PArtida – Gatwick Airport (é fácil de achar)

Chegada – London Bridge Station (bem no centro de Londres)

Duração  40 min

Venda de tickets – on line (http://www.buytickets.firstcapitalconnect.co.uk/)  ou  no  próprio aeroporto (guichê ou máquinas)

Ònibus

Easybus

Luton to London Bus and Coach

O mais em conta de todos, a partir de 2, 00 para os dois terminais do aeroporto. Para reservar on line – http://www.easybus.co.uk/

Mesmo para passageiros de outras companhias.

Partida- Terminal Sul e Norte

duração – 1 h e 15 minutos

Chegada – West Brompton Underground alguns minutos a pé de Earl´s Court Undergound Station

National Express

Preço – 5,50 GBP

Partida – Terminal Norte e Sul

duração 85 min

Chegada – Victoria coach station

http://www.nationalexpress.com

Stanstead Airport

As companhias lowcost utilisam muito esse aeroporto, que fica a mais ou menos 40 km ao  norte do centro de Londres.

Stanstead Express

Preço – 20,00 GBP (on line)

Partida – Stanstead airport

duração 45 min

Chegada – London Liverpool Street  (Circle, Metropolitan and Hammersmith & City line)

https://www.stanstedexpress.com

Easybus

Assim como para Gatwick e Luton

Preço 9,00

Luton airport

Trem

First Capital Connect (ver  site acima)

Ônibus

Easybus (ver site acima)

Green Line

Preço – 15,00 GBP (só ida)

Duração – 80 min

Saída – em frente ao Luton Airport

Chegada – No site eles não especificam, mas quando peguei esse ônibus ele nos deixou em Marble Arch Station (Oxford Street/Hyde Park)

 

 

Minha experiência com todos esses meios de transsporte foi sempre a melhor. Lógico, com pouca bagagem, fica tudo muito mais fácil e barato.

Próximo post – como se locomover em Londres ( e algumas das minhas últimas aventuras)

Até!



 

 

 

 

17
jan
11

Londres, algumas informações para quem está vindo

Pois é… andei bem borocochô esses dias. Passeei sim, mas me faltou a alegria e inspiração para escrever, diante de tudo que está se passando no Brasil. Vemos tragédias naturais todos os dias, mas desse porte, com tanta devastação, tanta dor e em nossa língua, uma tragédia para muito ricos e muito pobres. Fiquei quietinha, não tinha sentido falar sobre Londres e viagens.  Mas ontem uma nova leitora me pediu ajuda.

Oi, descobri seu blog e estou adorando. Dá para viajar sentada na mesa do computador. Estou indo a Londres pela primeira vez e estou muito perdida, tentando me achar aqui e acolá. Estou pesquisando em vários blogs, mas é tudo meio turistão, com dicas que eu sinceramente acho lindo mas difícil de seguir, e o seu é mais normal, tipos assim, mais na real. Mas tenho mil dúvidas. O que é imperdível? como me vestir (no frio)? onde comer para economizar? qual o melhor meio de transporte? quanto dinheiro é necessário para viver? onde comprar roupas de frio? enfim, se puder me ajudar, no que puder me ajudar.agradeço!

Eu ia responder nos comentários mesmo, mas acho que pode ser um (ou vários posts) que interesse a mais pessoas.

Bom, para ajudar estou sempre pronta.

Não sou nenhuma expert,  mas vou fazer o possível, de acordo com minha própria experiência. Para facilitar, vou dividir em tópicos.

Como chegar a Central London ( vindo dos aeroportos), hotéis mais em conta, pontos turísticos, como andar de ônibus,  como as pessoas se vestem, quanto se gasta em um dia básico, onde comer (embora eu mesma não vá a restaurantes) , enfim, vou tentar .Enquanto isso, na categoriia Londres e Passeio Londres tem alguma coisa. Até!

14
jan
11

Como ajudar?

Foi minha prima que me disse  no telefone = a região serrana dissolveu! Quando vi pela internet, não acreditei. Por aqui a BBC toca no assunto toda hora. Mas é impressionante a comparação. Enchente na Austrália – 30 mortos. Enchurrada no Brasil-  mais de 500.

para ajudar

Polícia Militar – Todos os batalhões de Polícia Militar do Rio também estão funcionando com centros de doações de sangue para as vítimas. Os comandantes dos batalhões também recomendam que sejam doados água minerla e alimentos não perecíveis, além de material de higiene pessoal. O material arrecadado será encaminhado ao 12º BPM (Niterói), de onde será enviado para as áreas afetadas.

Cruz Vermelha – Deixou o Departamento de socorros e Desastres em um plantão na sede, localizada na Praça Cruz Vermelha 10, no Centro, para receber água mineral, alimentos de pronto consumo (massas e sopas desidratadas, biscoitos, cereais), leite em pó, colchões, roupa de cama e de banho e cobertores. É possível fazer toados em vários estados. A entidade abriu uma conta para receber doações em dinheiro (Banco Real Ag. 0201 c/c 1793928-5).

Caixa Econômica Federal – O banco abriu uma conta corrente para ajudar as vítimas das chuvas no estado do Rio de Janeiro. As doações aos moradores das regiões em estado de emergência podem ser feitas na conta da Defesa Civil do Rio de Janeiro, número 2011-0, agência 0199, operação 006.

Bradesco – O banco abriu uma conta para receber doações para vítimas das enchentes na Região Serrana do Rio. O próprio Bradesco fará o primeiro depósito. O beneficiário da conta é o Fundo Estadual da Assistência Social, agência 6570-6, conta corrente 2011-7.

Itaú Unibanco – Aceita doações em favor de Fundo Estadual de Assistência Social do Estado do Rio de Janeiro: Itaú (341), Agência 5673, Conta 00594-7, CNPJ: 02932524/0001-46. Podem ser feitas pela internet, rede de agências e nos caixas eletrônicos Itaú. As agências também estão funcionando como postos de coleta de roupas, cobertores, agasalhos, calçados, materiais de limpeza e higiene, água e alimentos não perecíveis.

Doações na Rodoviária – Na Rodoviária Novo Rio, as doações para a Cruz Vermelha estão sendo recebidos no piso de embarque inferior, das 9h às 17h.

Pão de Açúcar – O grupo montou postos de coleta em todas as 100 lojas das redes Pão de Açúcar, ABC CompreBem, Sendas, Extra Supermercado e Hipermercados e Assaí em todo o estado para que os clientes possam cooperar com doações de alimentos não perecíveis, roupas e cobertores. A ação acontece até o dia 26 de janeiro. Todo material arrecadado será levado às regiões afetadas por meio do sistema logístico do Grupo.

Universidade – A Unisuam está arrecadando produtos de higiene pessoal (escova de dente, pasta de dente, toalha, sabonete, álcool em gel) e limpeza (detergente, desinfetante, esponja, pano de chão), além de fósforo e vela. Os postos funcionam das 8h às 21h, em Bonsucesso (Av. Paris, 72) e Campo Grande (Rua Campo Grande, 1.508); e das 15h às 21h, nas Unidades Bangu (Rua Fonseca, 240), Vila da Penha (Av. Braz de Pina, 1.744), e Jacarepaguá (Rua Apiacás, 320).

A Unigranrio montou postos de coleta em 12 unidades. Informações pelo 0800-2820007.

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) também está solidária. Aceita doações das 13h às 19h, na Avenida Madre Benvenuta 2007, Itacorubi, Florianópolis. Todas as doações serão encaminhadas para a Cruz Vermelha, em Santa Catarina

Doações em praças de pedágio – De acordo com informações da Concer, as praças de pedágio da BR-040 situadas em Duque de Caxias (km 104), Areal (km 45) e Simão Pereira (km 816), além da sede da empresa (km 110/JF, em Caxias) funcionarão a partir desta semana como postos de arrecadação de doações para os desabrigados. A Concer pede que sejam doados, preferencialmente, água mineral, produtos de higiene pessoal e de limpeza, roupas de cama, mesa e banho, além de colchonetes. Nas praças de pedágio, as doações podem ser entregues nos postos do Serviço de Informação ao Usuário da rodovia, que funcionam de segunda a segunda, 24 horas por dia.

Polícia Rodoviária Federal – A PRF montou quatro postos de arrecadação de alimentos e produtos de higiene pessoal. Dois pontos vão funcionar 24 horas e um deles, está instalado na BR-116, na altura do pedágio da Rio-Magé, e o outro na BR-101, no trecho de Casimiro de Abreu. Outros dois postos, na Rio-Petrópolis e na Rodovia Presidente Dutra, vão funcionar das 8h às 17 horas. A PRF informou que os alimentos arrecadados serão entregues para a Cruz Vermelha, que ficará encarregada de fazer a distribuição às vítimas.

 




Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 9 outros seguidores

janeiro 2011
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 9 outros seguidores

viagens
free counters

Atualizações Twitter

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: